Nobre assume culpas, cita “fim de ciclo” de Kleina e nega definição de substituto

  • Por Jovem Pan
  • 08/05/2014 18h02

O presidente Paulo Nobre explicou a demissão do técnico Gilson Kleina

Paulo Nobre em entrevista coletiva

Após a demissão de Gilson Kleina do Palmeiras, quem vai assumir o posto de técnico interino do alviverde de Palestra Itália será o auxiliar Alberto Valentim, ex-lateral que permanecerá como comandante até que o Verdão escolha um substituto para Kleina. Essa informação foi confirmada pelo presidente Paulo Nobre, em coletiva concedida no fim da tarde desta quinta-feira (8).

Além de nomear o substituto interino, Paulo Nobre falou sobre a demissão de Kleina, realizada nesta quinta, e assumiu todas as responsabilidades em relação à decisão de mandar embora o técnico, falando que o “ciclo” do técnico foi encerrado e também sobre o futebol da equipe.

“Na minha maneira de ver, o presidente é sempre o responsável por tudo. O presidente nunca pode fugir de suas responsabilidades”, disse Nobre. “O Gilson encerrou seu ciclo no Palmeiras. Não houve nenhuma briga. Um clima muito bom sempre existiu e se ele foi embora foi única e exclusivamente chegamos à conclusão que o ciclo dele se encerrou. Ficar seria pior para ele e para o Palmeiras”, prosseguiu.

O mandatário do alviverde de Palestra Itália também frisou que a diretoria já sabe as características do técnico a ser procurado, mas garantiu que o nome do futuro técnico ainda não foi definido.

“Nós já temos esse perfil, mas seu eu começar a definir, eu vou começar a restringir as possibilidades e vão começar as especulações. Entendo a ansiedade do torcedor palmeirense, mas peço um pouco de calma. As contratações vão continuar da mesma maneira, seguindo sempre com responsabilidade com as finanças do clube”, falou.

Nobre também deixou claro que todas as decisões no Palmeiras são feitas de forma consciente: “as contratações feitas foram baseadas sempre após muita conversa. Nunca medimos esforços para trazer jogadores. Sempre atentos para jogadores dentro do Brasil e fora. A gente precisa esperar abrir a janela”.

O presidente do Palmeiras disse que pretende acertar com um novo treinador rapidamente, mas sem tomar uma decisão equivocada.

“Rápido é importante, mas a pressa não pode ser sua inimiga. O time sentiu a ausência do Alan (Kardec) porque o Alan é um grande jogador. Do mesmo jeito que vamos procurar um substituto para suprir essa perda, vamos buscar um técnico”.

Paulo Nobre negou que a permanência de Gilson Kleina no início da temporada tenha sido por falta de opções e assegurou que o elenco será reforçado.

“De forma alguma. Renovamos com o Gilson com muita certeza do que estávamos fazendo. Chegamos à conclusão que nesse um ano e meio, quase dois anos, o ciclo dele meio que terminou. Não foi falta de convicção nenhuma no início do ano”, declarou. “Temos consciência de onde o elenco precisa ser reforçado. Segundo a diretoria de futebol, o elenco carece de alguns reforços. E quando chegar um novo técnico, vamos discutir se ele concorda com esses reforços”.

Por fim, Paulo Nobre disse que sua política de preocupação com as finanças do clube vai continuar e que ele deseja que a nova comissão técnica seja consciente da grandeza do Palmeiras.

“Não abri nenhuma negociação. Se eu responder isso, estarei fazendo uma futurologia. O que posso afirmar é que a responsabilidade com as finanças do clube será levado muito a sério. Esse é o perfil da minha administração”, observou. “Eu espero que tenha a mesma seriedade que tinha essa comissão técnica. Acho muito importante trabalhar com pessoas nas quais você confia. Que tenha essa fome de vencer. Acho que isso é muito importante. Uma comissão técnica que saiba entender a grandeza do Palmeiras”, finalizou.