Nos pênaltis, Ituano supera Santos e é campeão paulista pela 2ª vez na história

  • Por Jovem Pan
  • 13/04/2014 18h17
SÃO PAULO,SP,13.04.2014:PAULISTÃO/SANTOS E ITUANO - Os jogadores Mena do Santos e Rafael Silva do Ituano em lance durante a partida entre Santos e Ituano válida pela final do Campeonato Paulista 2014 no Estádio do Pacaembú em São Paulo (SP), neste domingo (13). (Foto: Leandro Martins/Futura Press/Folhapress)Ituano supera Santos nos pênaltis e conquista título histórico no Pacaembu

O dia 13 de abril nunca vai ser esquecido pela cidade de Itu. Neste domingo, o Ituano desbancou o Santos, vinte vezes campeão estadual, nos pênaltis, e se sagrou Campeão Paulista em pleno Pacaembu lotado por 38 mil santistas. No tempo regulamentar, a partida terminou 1 a 0 para o Peixe, com pênalti irregular marcado em Cícero. Com a igualdade no placar agregado, a decisão de quem seria o campeão foi para a marca da cal. Depois de muitas cobranças, a equipe do interior paulista bateu a da Baixada Santista por 7 a 6. O zagueiro Neto desperdiçou a cobrança decisiva para linda festa da pequena torcida de Itu presente no estádio.

Em partida muito nervosa, o Santos precisava da vitória [por ter sido derrotado na partida de ida por 1 a 0] e encontrou dificuldades para pressionar o time do interior paulista. No final da primeira etapa, o juiz assinalou penalti irregular em Cícero [meia estava impedido no lance] e a equipe da Baixada Santista abriu o placar, com resultado que levava a partida para as penalidades. No segundo tempo, o jogo foi muito trucando, mas o Ituano se impôs e quase empatou a partida, disperdiçando grande chance com Rafael Silva.

Grande surpresa do torneio, o Ituano bateu o Santos em campanha espetacular no campeonato estadual. Na fase de grupos, a equipe de Itu tirou vaga do Corinthians para a fase decisiva. Nas quartas-de-final, superou o Botafogo de Ribeirão Preto e nas semifinais eliminou o favorito Palmeiras. O Peixe, por sua vez, decepcionou na decisão, após ter feito melhor campanha do campeonato na fase de grupos.

O jogo

O primeiro tempo da decisão começou mais brigado do que jogado. Logo aos 8 minutos, David Braz e Rafael Silva se estranharam e o tempo fechou no gramado do Pacaembu. Aos 13 minutos, o Ituano, com Josa, ainda arriscou de longe e assustou o goleiro Aranha.

Precisando vencer, o Santos tentou pressionar o Ituano que novamente se mostrava muito bem postado defensivamente, dificultando o toque de bola do técnico Oswaldo de Oliveira. Apenas aos 32 minutos o Peixe conseguiu assustar o Galo de Itu. Cícero cobrou falta no capricho e obrigou Vágner a fazer linda defesa. No lance seguinte, Damião subiu livre na área e testou para defesa do goleiro visitante com o peito, desesperando a torcida santista nas arquibancadas.

Aos 39 minutos, Cícero ficou novamente muito perto de balançar as redes. Geuvânio cruzou para Damião, que escorou para o meia que, trombando com Josa, quase manda para dentro das redes de forma estabanada.

Restando apenas um minuto para o final do tempo regulamentar, veio o lance polêmico da partida. Após sobra de bola na área, zagueiro Alemão dividiu com Cícero e o árbitro Rafael Klaus assinalou pênalti irregular, já que o santista partiu de posição de impedimento para a disputa de bola. Desta vez, o meia santista, que havia desperdiçado uma penalidade na partida de ida, bateu com categoria no canto direito de Vágner e abriu o placar para o Peixe. A vitória mínima levava a decisão para as penalidades.

Na segunda etapa, o Santos não conseguiu excercer a pressão que esperava e viu o Ituano se lançar ao ataque em busca de um empate que garantiria o título ainda no tempo regulamentar. Aos 8 minutos, a equipe do interior paulista escapou em contra-ataque, mas Rafael Silva, Esquerdinha e Paulinho excitaram na jogada, que foi rechaçada pela defesa santista. Percebendo a superioridade do time de Itu, Oswaldo de Oliveira promoveu a entrada do veloz Rildo na vaga de Thiago Ribeiro, mas a alteração não surtiu muito efeito.

Aos 23 minutos, o meia Geuvânio, destaque do Peixe e eleito revelação do torneio, invadiu a área e, cara-a-cara com o goleiro Vágner, bateu para fora, desperdiçando oportunidade que poderia dar o título ao Peixe. Restando menos de dez minutos para o final do tempo regulamentar, Anderson Sales cobrou falta com perfeição e viu Aranha fazer linda defesa, decretando o placar final de 1 a 0 no Pacaembu.

Na disputa dos pênaltis, logo na segunda cobrança do time de Itu, Anderson Sales, homem das bolas paradas da equipe, bateu para defesa de Aranha. O Peixe ficou em vantagem na disputa até a quarta cobrança quando Rildo acertou a trave e deixou tudo igual. Nas alternadas, os times foram bem, até que o zagueiro santista Neto parou em Vágner e viu a festa do Ituano tomar conta do Pacaembu.