Nos últimos anos, GP do Brasil deixou de ser decisivo e se tornou alvo de críticas

  • Por Jovem Pan
  • 10/11/2015 19h42
Um dos mais tradicionais circuitos da Fórmula 1

O Grande Prêmio do Brasil chegará, neste domingo (15), a sua 44ª quarta edição oficial na Fórmula 1. O autódromo de Interlagos, casa da maioria desses GPs, comemora, em 2015, 75 anos de existência. No entanto, os motivos para comemorar não vão muito além disso. A atual temporada será a terceira seguida em que a Fórmula 1 chega ao Brasil com o título definido, o que tira parte da atratividade do evento.

Além disso, o autódromo tem passado por diversas reformas para responder às críticas que tem recebido por parte de funcionários das equipes e dirigentes da FIA, a Federação Internacional de Automobilismo.

Pouco espaço e muita reclamação

Em 2014, a revista Veja publicou depoimentos desses funcionários que criticavam a estrutura da Interlagos. “Honestamente, Interlagos é uma porcaria. É a favela da Fórmula 1”, disse um funcionário da Williams na ocasião.

“É o pior circuito de todos. O paddock é extremamente pequeno, não há condições de trabalhar. Até a nossa cozinha tem problemas. É muito cansativo. Meu desejo é que tudo isso acabe logo e eu volte para casa”, continuou o funcionário, que pediu para não ser identificado. Uma mulher que trabalha na Ferrari endossou as críticas. “A estrutura aqui é muito pequena. No quesito instalações, o GP do Brasil é um dos piores”.

Bernie Ecclestone, considerado o chefe da Fórmula 1, considerava o circuito de Interlagos o pior de todos. Assim como os funcionários, o inglês é um crítico da falta de espaço nas estruturas do autódromo. Para aliviar as críticas, a prefeitura investiu R$ 40 milhões em reformas, o que agradou o dirigente. Recentemente, Ecclestone elogiou as mudanças, mas disse esperar mais para os próximos anos, como a ampliação dos boxes.

Um circuito menos decisivo

Desde que foi tirado do começo da temporada e colocado entre os últimos circuitos de cada ano, em 2004, o Grande Prêmio do Brasil tem sido palco de emocionantes decisões de títulos. No entanto, em 2015, com Lewis Hamilton definido como campeão, Interlagos ficará pela primeira vez por três anos consecutivos sem decidir a temporada.

Confira, abaixo, como foram as edições do GP do Brasil que decidiram o mundial de Fórmula 1.

2005 – Fernando Alonso campeão

O espanhol Fernando Alonso largou na pole no GP do Brasil de 2005, o antepenúltimo daquela temporada. Na corrida, acabou ficando na terceira colocação, o que lhe deu os seis pontos necessários para garantir seu primeiro título mundial de Fórmula 1. O vencedor foi Juan Pablo Montoya, seguido por Kimi Räikkönen, segundo colocado na corrida e também no campeonato.

2006 – Fernando Alonso campeão

Um ano depois de seu primeiro título, Alonso repetiu o feito correndo em São Paulo. Largando em quarto, o espanhol passou a linha de chegada na segunda colocação, o bastante para garantir matematicamente a nova conquista, desta vez sobre Michael Schumacher. A festa brasileira ficou por conta da vitória de Felipe Massa, que quebrou o jejum de 13 anos sem uma vitória brasileira em Interlagos.

2007 – Kimi Räikkönen campeão

A temporada de 2007 da Fórmula 1 foi mais emocionante que as anteriores e chegou a sua última prova, em Interlagos, indefinida. Quem acabou se dando bem foi o finlandês Kimi Räikkönen, que venceu a corrida, seguido por Felipe Massa, e sagrou-se campeão. Fernando Alonso, terceiro colocado, e Lewis Hamilton, sétimo, ainda brigavam pelo título, mas deixaram ele escapar.

2008 – Lewis Hamilton campeão

Se 2007 foi emocionante, nada supera o GP do Brasil de 2008. Infelizmente para nós, brasileiros, a corrida vai ser eternamente lembrada como uma decepção. Felipe Massa foi o primeiro colocado e estava comemorando o título mundial até a última volta – seria o primeiro título do Brasil desde o de Ayrton Senna em 1991. No entanto, no apagar das luzes, Lewis Hamilton ultrapassou Timo Glock e, com o quinto lugar, conseguiu ficar um ponto à frente de Massa na classificação geral.

2009 – Jenson Button campeão

Em 2009, mais um inglês comemorou em solo brasileiro o mundial da Fórmula 1. Desta vez foi Jenson Button, da Brawn GP, quem conquistou o resultado necessário para se tornar campeão, mesmo antes da etapa da Abu Dhabi. Em Interlagos, Button terminou na quinta colocação, uma à frente de Vettel, que tentava lhe tirar o título. Max Webber foi o primeiro colocado, seguido por Robert Kubrica e Lewis Hamilton.

2012 – Sebastian Vettel campeão

A sempre presente chuva de Interlagos foi uma das protagonistas em 2012, indo e voltando no céu de São Paulo. Isso colaborou para o alto número de ultrapassagens na corrida (147), que culminaram com o resultado necessário para Sebastian Vettel sair como campeão. O alemão ficou em sexto lugar, e Fernando Alonso, seu adversário na briga pelo título, mesmo ficando em segundo, perdeu as chances de ultrapassá-lo na classificação. Foi a terceira conquista consecutiva de Vettel, que se tornou, aos 25 anos, o tricampeão mais jovem da história da Fórmula 1. Jenson Button, vencedor da prova, e Felipe Massa, terceiro colocado, completaram o pódio.