Novo demitido, Marquinhos Santos critica cultura do futebol brasileiro: “é um absurdo”

  • Por Jovem Pan
  • 08/06/2015 15h31
Para Marquinhos Santos

O Coritiba anunciou a demissão do técnico Marquinhos Santos nesta segunda-feira (8), após nova derrota da equipe no Campeonato Brasileiro, desta vez para o Internacional em Porto Alegre. Do outro lado da moeda, o treinador falou com a Rádio Jovem Pan sobre os problemas enfrentados no clube e comentou a cultura de demissão de técnicos no futebol brasileiro, que tem seis deles demitidos em seis rodadas do nacional.

“É algo que a gente tem falado constantemente, inclusive na reunião que houve entre os treinadores de Série A na CBF, que é um absurdo. (As pessoas) Falando em mudança e qualificação do futebol brasileiro, e não conseguimos dar uma continuidade de filosofia de trabalho. A cada rodada um treinador sempre saindo, outro chegando, com pensamentos diferentes, e quem perde com isso é o futebol brasileiro”, analisou o ex-comandante do Coxa.

O time paranaense, com cinco derrotas e uma vitória até o momento, ocupa a 18ª colocação no Brasileirão, mas Marquinhos cita as dificuldades que contribuíram para esse estado. “Nós tivemos quatro jogos fora de casa e enfrentamos times que são postulantes a brigar na parte de cima na tabela. Viemos com uma redução de 50% na folha em relação ao ano passado, que já era uma equipe que brigou contra o rebaixamento. Contra o Inter havia seis atletas no departamento médico, chegaram quatro atletas esta semana, e nós lançando jovens das categorias de base”, cita o treinador natural de Santos, litoral paulista. “Nós aceitamos esse desafio, entendendo que haveria uma sequência de trabalho”.

Outro fator que atrapalha alguns clubes brasileiros é o desequilíbrio econômico. “A diferença econômica é muito grande, e neste momento do futebol brasileiro, de reajuste financeiro, o Coritiba tem problemas financeiros e em função disso o clube pediu a minha permanência dentro de um projeto e eu aceitei. Tive a oportunidade de em 2012 e em 2014 manter o Coritiba na Série A”, disse. “Mas, infelizmente, sabemos que é difícil se manter na parte de cima da tabela. As questões financeiras acabam atrapalhando quando não se tem dinheiro para cumprir com os compromissos”.

Mesmo com a demissão, o treinador de 36 anos, que tem passagens pela Seleção Brasileira de base e pratica um futebol ofensivo, não vai desistir de suas convicções. “Tenho buscado sempre a melhoria do futebol brasileiro, e como sou oriundo da base, onde o pensamento é sempre formar jogadores com qualidade, eu trouxe isso para o profissional. Minhas equipes, como o Coritiba, o Bahia e Seleção Brasileira campeã da Copa América Sub-15 e Sub-17 jogavam com essa formação. É no que eu acredito como filosofia de jogo”.

Ney Franco será o substituto de Marquinhos Santos no Coritiba. Enquanto isso, o treinador aguarda propostas de times da Série A ou da Série B, mas afirma que vai analisar com cuidado cada situação “para não cometer os erros institucionais que afetam um clube, uma torcida”. Enquanto isso, outro treinador do Brasileirão, Oswaldo de Oliveira, tem seu cargo ameaçado no Palmeiras. A cultura de demissões nos clubes do Brasil não parece que vai mudar tão cedo.