Número de detidos por briga de torcedores na Espanha chega a 55

  • Por EFE
  • 18/12/2014 09h49
Imagem da torcida organizada Frente Atlético

A polícia espanhola deteve mais 14 pessoas por envolvimento em confronto entre torcedores de Atlético de Madrid e Deportivo La Coruña, no fim do mês passado, que resultou em uma morte, elevando o número de envolvidos para 55.

As informações sobre a nova operação foram reveladas à Agência Efe, por fontes ligadas à investigação, nesta quinta-feira. Estas novas detenções aconteceram em La Coruña, na Galícia, e a maioria foi de integrantes ligados ao grupo radical Riazor Blues.

A ação foi realizada por uma unidade policial de Madri, com apoio de corporação local. Até então, as prisões referentes ao caso aconteceram na capital espanhola e em Gijón, onde foram presos torcedores do principal clube da cidade, o Sporting, que teriam sido convocados para participar do conflito por grupo de atleticanos.

Além disso, ultras – torcedores mais violentos – do Rayo Vallecano e do Alcorcón também estão entre os detidos. Estes, no entanto, já foram soltos e respoderão ao processo em liberdade.

Pouco mais de duas semanas atrás, Francisco Javier Romero, conhecido como Jimmy e torcedor do Deportivo La Coruña foi morto em um confronto com “ultras” do Atlético de Madrid.

Entre os presos estão um homem identificado como Ismael L.P., que é taxista na capital, e um jovem de 21 anos, que estão sendo acusados de autoria na morte do torcedor. Ambos pertencem à torcida organizada Frente Atlético.

Além disso, um integrante da Unidad Militar de Emergencias, corporação das forças armadas espanholas e que atua em casos de catástrofe, além de um guarda civil, fazem parte do grupo dos primeiros 36 presos. Três menores de idade uma mulher também estão detidos.

As investigações estão se baseando, principalmente, pela cessão de imagens de câmeras de segurança. Muitas pessoas estão entregando o material as autoridades de maneira anônima.