O adeus de um M1to: Rogério Ceni deixa o futebol e fica na história

  • Por Jovem Pan
  • 11/12/2015 12h08
Com 1.237 jogos pelo São Paulo e 131 gols na carreira

O dia 11 de dezembro de 2015 ficará marcado na história do futebol como a data da aposentadoria de um dos maiores goleiros da história do futebol, certamente o maior na vida do São Paulo Futebol. Nesta sexta-feira, Rogério Ceni subirá ao gramado do Morumbi pela última vez como jogador de futebol para pendurar as chuteiras após uma carreira gloriosa com a camisa tricolor.

Nascido em Pato Branco, no Paraná, e criado em Sinop no Matogrosso, Rogério chegou ao São Paulo em 1990, quando tinha 17 anos, e no clube do Morumbi se tornou Mito. Foram 1.237 jogos pelo São Paulo, 131 gols, títulos Brasileiros, Paulistas, da Libertadores e Mundial.

A bela e vitoriosa carreira do maior goleiro artilheiro do planeta, marcada por profissionalismo, vitórias, títulos, algumas frustrações e companheirismo, se encerra neste 11 de dezembro, no Morumbi, em partida festiva que reunirá jogadores campeões mundiais pelo São Paulo.

O jovem filho de seu Eurides e dona Hertha, estudioso e bancário, virou mito no Morumbi. Com depoimentos do pai do arqueiro, de companheiros como Muricy Ramalho, Luis Fabiano, Julio Cesar, e narrações memoráveis, a trajetória histórica de Rogério no São Paulo foi retratada na matéria especial do repórter Daniel Lian, da Rádio Jovem Pan, que relatou a carreira do goleiro artilheiro desde os tempos de jogador de linha, até a consagração como jogador que mais vestiu a camisa são-paulina, passando pelo primeiro gol, a conquista da Libertadores e do Mundial.

Rogério deixa o futebol para ficar na história. São 1237 jogos, o goleiro se tornou o jogador com mais vitórias por um mesmo time, possui o maior numero de jogos oficiais como capitão de uma equipe, e encerra a carreira vestindo apenas uma camisa. Se o futuro do capitão ainda está indefinido, o passado está imortalizado.