Oposição do Corinthians teme uso de urna eletrônica na eleição

  • Por Agência Estado
  • 05/02/2015 17h53
Urna eletrônica

Integrantes do grupo de oposição que apoiam a candidatura de Antônio Roque Citadini à presidência do Corinthians temem o uso de urnas eletrônicas na eleição deste sábado. A chapa da situação, que apoia a candidatura de Roberto de Andrade, rebate as acusações.

O grupo oposicionista alega que o uso do papel seria mais seguro. Além disso, segundo eles, o número de sócios que deve participar da eleição é pequeno, e o resultado do pleito, portanto, poderia ser reconhecido rapidamente sem a necessidade de urna eletrônica.

Dos cerca de 11 mil sócios aptos a votar, a expectativa é de que, no máximo 5 mil, de fato, comparecerão no dia da eleição. Oposicionistas também reclamam de uma lista com mais de 600 sócios com mais de 100 anos aptos a votar, o que comprovaria um cadastro desatualizado.

Antônio Roque Citadini está confirmado na eleição deste sábado como principal e único nome da oposição para tentar desbancar o candidato da situação Roberto de Andrade.

APOIO DE RONALDO – A chapa da situação ganhou o apoio formal do ex-jogador Ronaldo Fenômeno, que gravou um vídeo pedindo votos a Roberto de Andrade. Ronaldo e o ex-presidente Andrés Sanchez são os principais cabos eleitorais de Roberto de Andrade.

*Por Vítor Marques