Organizada invade treino do Palmeiras para cobrar o elenco; diretoria protesta

  • Por Jovem Pan
  • 26/03/2016 17h18
A Mancha Alvi Verde exibiu faixas de protesto na última partida do Palmeiras; neste sábado

A atual fase do Palmeiras, que vem de três derrotas consecutivas, tem irritado os torcedores. Cerca de cinquenta deles, ligados à organizada Mancha Alvi Verde, invadiram a Academia de Futebol na manhã deste sábado (26) e para conversar com os jogadores. Segundo nota oficial da torcida, a conversa foi “produtiva”.

“Hoje pela manhã nossa diretoria teve uma conversa produtiva com parte do elenco e comissão técnica do Palmeiras. Esperamos que todos os problemas sejam resolvidos em campo e os resultados positivos voltem a aparecer. Quanto a nossa parte, continuaremos fazendo e apoiaremos o Palmeiras para que os objetivos do ano sejam alcançados. Juntos somos muito mais fortes”, informou a Mancha nas redes sociais.

No entanto, a diretoria do Verdão não encarou a “visita” da mesma forma. Na parte da tarde, ela divulgou uma nota oficial em seu site na qual classifica a atitude da torcida como uma invasão. “Os integrantes da organizada forçaram a entrada e atrapalharam o último treino da equipe antes da partida diante do Água Santa”, disse o clube.

Ainda de acordo com o comunicado, o Palmeiras “irá estudar com Federação Paulista de Futebol, Comando da Polícia Militar do Estado de São Paulo e Ministério Público atitudes para que fatos lamentáveis como os de hoje não voltem a acontecer”.

Confira, abaixo, a nota completa divulgada pelo clube alviverde.

“A Sociedade Esportiva Palmeiras vem a público repudiar a ação da Mancha Verde, que invadiu a Academia de Futebol na manhã deste sábado (26). Os integrantes da organizada forçaram a entrada e atrapalharam o último treino da equipe antes da partida diante do Água Santa, válida pela 12a rodada do Campeonato Paulista 2016.

Reiteramos que todo torcedor, organizado ou não, tem total direito de vaiar, cobrar ou reclamar, desde que nao aja com violência a pessoas ou patrimônio do clube. Reuniões com elenco e comissão técnica são prerrogativas exclusivas da diretoria de futebol e da presidência do clube.

Diante da prática de se invadir o ambiente de trabalho de profissionais e estatutários na Academia de Futebol, o comando do Palmeiras irá estudar com Federação Paulista de Futebol, Comando da Polícia Militar do Estado de São Paulo e Ministério Público atitudes para que fatos lamentáveis como os de hoje não voltem a acontecer.

Por fim, essa gestão, com todos seus erros e acertos, deixa claro que não admite que ninguém venha a ferir a autonomia do clube e jamais se dobrará a qualquer tipo de pressão.”