Oswaldo elogia funk de Robinho e sinaliza presença de Valdivia na final

  • Por Jovem Pan
  • 01/05/2015 16h49
SÃO PAULO, SP - 01.05.2015 - TREINO DO PALMEIRAS: O técnico Oswaldo de Oliveira, da SE Palmeiras, concede entrevista coletiva antes do treinamento na Academia de Futebol, no bairro da Barra Funda. (Foto: Cesar Greco / Fotoarena)O treinador do Palmeiras se mostrou bem-humorado e descontraído na coletiva de imprensa

Na antevéspera de sua primeira decisão como treinador do Palmeiras, Oswaldo de Oliveira está descontraído. Pelo menos é essa a impressão que ele passou em entrevista coletiva nesta sexta-feira (01), na Academia de Futebol. Bem-humorado, o técnico chegou a elogiar o funk de Robinho, no qual o santista afirma que vai ser campeão no domingo.

“Foi uma brincadeira maravilhosa. O Robinho é um cara sensacional, espontâneo, brincalhão na hora que tem de brincar. Isso faz parte, é a personalidade de cada um. Para mim é ótimo. Aliás, nada que vem de Santos ou do Santos, a não ser a antiga diretoria, é negativo para mim”, disse Oswaldo, dando uma cutucada nos antigos comandantes que o demitiram no Peixe em 2014.

O motivo do bom humor pode ter nome: Valdivia. Segundo Oswaldo, o chileno tem treinado bem. “Na quarta, o Valdivia treinou com o grupo e muito bem. Ontem, a mesma coisa. Minha expectativa é que hoje seja melhor ainda. A evolução dele vai de encontro àquilo que projetamos no outro fim de semana. Seria muito arriscado utilizá-lo naquele jogo. Havia a possibilidade dele sentir. Agora não”, analisou o treinador.

Perguntado sobre a escalação para a grande final, Oswaldo voltou a responder, entre risadas, quem está garantido no time titular: “Fernando Prass”. O goleiro também foi alvo de elogios. “Ele é muito preciso no que diz, muito atualizado com as coisas que fala. Isso é uma virtude a mais. É um cara que vai adquirindo experiência e consegue passar para o grupo. Gosto de conversar com ele, essa visão que ele tem é muito interessante”.

A segunda partida da final do Campeonato Paulista de 2015 acontece no domingo, 3 de maio, na Vila Belmiro. Como perdeu a primeira partida por 1 a 0, o Santos precisa vencer por dois gols de diferença para ser campeão ou por um para levar a decisão para os pênaltis. Ao Palmeiras, um empate basta para levantar o troféu.