Ouça gols históricos do Palmeiras na voz da JP

  • Por Jovem Pan
  • 26/08/2014 13h10
Divulgação Evair Palmeiras 1993

Eu vou soltar a minha voz! – Campeonato Paulista 1993
Eram 17 anos de fila resumidos em um pênalti. Quando o atacante Evair foi para a marca da cal na decisão do Campeonato Paulista de 1993, todos sabiam que um gol praticamente selaria o fim da fila alviverde. Ninguém sabia mais do que isso do que o narrador José Silvério, que narrou pela primeira vez um título do Palmeiras. “Agora eu vou soltar a minha voz”, frase proferida por ele na Jovem Pan, virou o símbolo do título palmeirense.

O gol espírita – Copa do Brasil 1998
Quanto o técnico Luiz Felipe Scolari chegou no Palmeiras no fim da década de 90, o torcedor viu que tudo era possível, só era impossível o clube perder, aparentemente. A mística de que o Palmeiras de Felipão era incapaz de perder começou na decisão da Copa do Brasil de 1998. Palmeiras e Cruzeiro empatam em 1 a 1 e pareciam conformados em levar o jogo para os pênaltis, mas no final da partida Zinho bateu falta, o goleiro Paulo Cesar espalmou e Oséias sem ângulo aparente para chutar, balançou as redes para dar o título para o Palmeiras.

A América é verde! Copa Libertadores 1999
O Palmeiras tinha uma obsessão no final da década de 90, conquistar a Libertadores da América. Com o técnico Felipão, o goleiro Marcos e ídolos como César Sampaio e Evair, o título veio finalmente em 1999, quando Zapata perdeu o pênalti para o Deportivo Cali no Palestra Itália.

O fim da segunda fila – Campeonato Paulista 2008
Os anos 2000 não foram fáceis para a torcida palmeirense. Não bastasse o rebaixamento em 2002, o clube ficou oito anos sem ganhar um título de grande expressão. O fim dessa pequena, mas incômoda, fila ocorreu no Campeonato Paulista de 2008, quando o time de Valdivia, Diego Souza e Kleber atropelou a Ponte Preta por 5 a 0.

Betinho!? – Copa do Brasil 2012
A contratação do atacante Betinho não foi vista com bons olhos no Palmeiras nem pelo técnico Luiz Felipe Scolari em 2012, mas quem diria que ele entraria na história do Palmeiras. Foi ele que desviou o cruzamento de Marcos Assunção para marcar o gol do Palmeiras na final da Copa do Brasil de 2012, que garantiu o segundo título do palmeiras no torneio.