20 anos e muitos ouros para contar: Katie Ledecky só perde para Phelps e Lochte em mundiais

  • Por Marina Ogawa/Jovem Pan
  • 26/07/2017 14h03 - Atualizado em 26/07/2017 14h45
Katie Ledecky: apenas 20 anos, seis medalhas em Olimpíadas e 12 ouros em Mundias: qual o limite da nadadora?

Com 20 anos nos ombros, a nadadora Katie Ledecky é a mulher mais vitoriosa da história dos Mundiais de Natação. Em Budapeste, na Hungria, ela passou a compatriota Missy Franklin ao conquistar sua 12ª medalha de ouro – e pode ampliar ainda mais essa vantagem se vencer os 800m livre e os 4x200m livre que irá nadar até domingo (30), quando acaba a competição. Vale lembrar que acima do Campeonato Mundial está apenas a Olimpíada.

E engana-se quem pensa que a norte-americana ficou conhecida por chegar 19 segundos à frente da segunda colocada nos 1.500 metros livre nesta terça-feira (25). A velocidade dela já é de antes, quando tinha 15 anos, e levou o ouro nos 800 metros livre nas Olimpíadas de Londres, em 2012.

Daí para frente, só sucesso. A nadadora conquistou mais cinco medalhas de ouro nas Olimpíadas do Rio de Janeiro no ano passado – sendo que quatro delas foram de ouro (200m livre, 400m livre, 800m livre e revezamento 4x200m livre. A prata foi no 4x100m livre).

Confira abaixo a quebra do recorde mundial nos 800m livre na Rio-2016:

E enquanto não subia ao pódio nos Jogos Olímpicos, Katie Ledecky brilhava, de dois em dois anos, nos Mundiais. Em Barcelona-2013, na Espanha, foram mais quatro ouros para a conta (400m livre, 800m livre, 1500m livre e revezamento 4x200m livre). Dois anos mais tarde, em Kazan-2015, na Rússia, mais cinco ouros (200m livre, 400 m livre, 800m livre, 1500m livre e o revezamento 4x200m livre).

Como se não bastassem as conquistas, Ledecky coleciona recordes mundiais. São três e todos eles bem abaixo das marcas anteriores: 400m livre com 03’56”46, 800m livre com 08’04”79 e 1500 livre com 15’25”48.

Agora a dúvida que fica é: até onde ela vai? Mas a resposta é simples: longe. Bem longe!

Katie Ledecky ainda tem muito a crescer, mesmo após perder a primeira prova individual em Mundiais – nesta quarta-feira (26), ela levou a prata na disputa dos 200m livre em que a italiana Federica Pellegrini voltou ao topo do pódio.

A expectativa, além dos ouros em Mundiais e Jogos Olímpicos, agora, é que a nadadora supere nomes no rol dos gigantes da natação mundial. O fundista australiano Ian Thorpe já ficou para trás na história dos mundiais com seus 11 ouros.

Único bronze na vida da nadadora agora é o da disputa direta com seus colegas de equipe americana: os nadadores Michael Phelps, com 26 ouros, e Ryan Lochte, com 18. Isso mesmo: Katie Ledecky entra na disputa do “quadro de medalhas individual” contra dois homens.

Patrick Kraemer/EFE

O americano Michael Phelps é o maior medalhista da história dos Jogos Olímpicos – Foto: EFE

O feito de vencer os dois grandes nomes da natação dos Estados Unidos dos últimos tempos é árduo e ela só poderia alcançá-los daqui uns bons anos. Para passar Phelps, por exemplo, só se vencesse todas as suas provas em Mundiais nas edições 2019, 2021 e 2023. É possível? Sim, Katie Ledecky não dá indícios de aposentadoria e mostra-se no topo e motivada para chegar em 2023, com 26 anos, no auge de sua performance.

Com 23 anos, em Tóquio-2020, a expectativa é de que Ledecky avance ainda mais. Caso conquiste o ouro em todas as suas principais provas – 200m livre, 400m livre e 800m livre – além dos dois revezamentos, ela pode chegar à incrível marca de 11 medalhas em Olimpíadas (10 ouros e uma prata).

Quem é Katie Ledecky?

Fã do superatleta Michael Phelps desde os seis anos, quando começou a nadar, Katie Ledecky é de Washington, nos Estados Unidos e desponta como uma das melhores nadadoras da história da natação mundial.

A especialista em provas de nado livre nas distâncias conhecidas pelos nadadores como “meio fundo” (200m livre) e “fundo” (400m livre, 800m livre e 1500m livre), é promessa dos Estados Unidos para as próximas edições das Olimpíadas. Tudo leva a crer que a estudante de Stanford será a grande estrela do “dream team” da natação mundial em 2019, 2020 e contando…