Aquecendo os motores! Relembre os momentos mais emocionantes do GP do Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 11/11/2017 10h00 - Atualizado em 11/11/2017 11h00
Montagem / Reprodução / TwitterNelson Piquet, Ayrton Senna e Felipe Massa foram alguns dos brasileiros que venceram o GP do Brasil

A Fórmula 1 desembarcou neste final de semana em São Paulo para a disputa do 46º Grande Prêmio do Brasil. Com o campeonato já decidido – Hamilton conquistou o tetracampeonato no México – a emoção no próximo domingo (12) ficará por conta da segunda despedida de Felipe Massa, que fará sua última corrida em Interlagos.

Apesar de a corrida deste ano ter quase um caráter amistoso, o Autódromo José Carlos Pace já viveu grandes momentos em seus quase 50 anos de F1. Desde as emocionantes vitórias de Senna até a conquista dos títulos mundiais de Fernando Alonso, Jenson Button e Lewis Hamilton.

Para se preparar para a corrida de domingo, cuja largada está marcada para às 14h, a Jovem Pan relembrou algumas das corridas mais emocionantes da história do GP do Brasil. Confira:

1986

Uma das poucas corridas realizadas fora de Interlagos, no saudoso Autódromo de Jacarepaguá, que hoje dá lugar ao Parque Olímpico, ficou marcada pela união de dois rivais históricos do automobilismo brasileiro. Nelson Piquet ficou a frente de Senna e Prost e alcançou a vitória no Rio de Janeiro. No pódio, Piquet e Senna ergueram juntos a bandeira do Brasil, deixando de lado por um breve momento o desafeto que havia entre eles.

1991

Senna já era bicampeão da Fórmula 1 e ídolo incontestável dos brasileiros, mas ainda faltava uma vitória diante daqueles que tanto torciam para ele. E ela veio em 1991, da forma mais emocionante possível. Ayrton venceu a corrida com um grave problema no câmbio, que o impedia de reduzir a velocidade do carro. Já nas últimas voltas, com dores no corpo por conta do esforço de manter o veículo sob controle, ele conseguiu cruzar a linha de chegada com câmbio travado na sexta marcha. Sua comemoração, com gritos e palavrões e sem força para erguer a taça, expressavam tanto a dor quanto a emoção de finalmente vencer em seu País.

1993

A segunda e última vitória de Senna em Interlagos veio do jeito que ele gostava: debaixo de muita chuva. Ayrton havia largado em terceiro e Damon Hill fez de tudo para que ele não o ultrapassasse e colasse no líder Alain Prost. Porém, São Pedro se encarregou de fazer a mágica acontecer. Graças ao temporal que caiu em Interlagos, Prost acabou batendo. Depois, quando saia dos boxes, Hill levou um “olé” de Ayrton e perdeu a liderança. A prova de 1993 também foi o primeiro GP do Brasil de Rubens Barrichello.

2003

Interlagos nunca viu uma corrida tão maluca quanto a prova de 2003, o último no começo da temporada. A largada já foi dada com o Safety Car por conta da chuva que tomou conta do fim de semana em São Paulo. O mau tempo levou Michael Schumacher e Jenson Button ao muro da Curva do Sol e Rubinho assumiu a liderança. Porém, a festa brasileira durou apenas duas voltas, com a Ferrari sofrendo uma pane seca e forçando o abandono da prova. Com apenas dez carros no fim da prova, a vitória foi do improvável Giancarlo Fisichella, porém a direção da F1 só o reconheceu como vencedor dias depois e a taça só foi erguida por ele na prova seguinte, em San Marino.

Assista aqui.

2006

A festa era para ser de Michael Schumacher, que fazia sua despedida da Fórmula 1, mas quem comemorou mesmo foi seu companheiro, Felipe Massa, que venceu em casa com direito a macacão nas cores da bandeira brasileira. A briga pelo título também foi intensa nesta corrida. Schumacher teve a chance de se despedir como campeão, mas teve o pneu furado e terminou a prova em quarto. O campeonato ficou nas mãos de Fernando Alonso, que terminou a prova em segundo, a frente de Jenson Button, que também tinha chances de ser campeão.

2008

Essa história de vencer a corrida, mas não não ser o campeão da temporada aconteceu de novo com Massa em 2008, mas de forma muito mais dolorosa. Isso porque quem perdeu o título foi ele mesmo. Massa liderou a prova e foi campeão mundial por apenas 20 segundos, quando Hamilton ultrapassou Timo Glock e assumiu a quinta colocação da prova, somando assim um ponto a mais que o brasileiro e ficando com o título.