Red Sox é acusado de usar dispositivos eletrônicos para obter vantagem sobre os Yankees

  • Por Jovem Pan
  • 06/09/2017 10h27
A franquia de Massachusetts confirmou a acusação após discussão com os diretores da liga.

Uma das franquias mais conhecidas do beisebol, o Boston Red Sox, foi acusado pelo seu maior rival e principal adversário na corrida para a pós-temporada, o New York Yankees, de usar aparelhos eletrônicos para roubar sinais de receptores para arremessadores, atitude repudiada dentro da liga. Segundo Michael S. Schmidt do New York Times, os meias vermelhas usaram um Apple Watch para obter essa vantagem em uma séries de três jogos no mês passado.

Brian Cashman, gerente geral dos Yankees, apresentou um vídeo em que Jon Jochim, assistente técnico dos Red Sox, olha o relógio – dentro do banco de reservas – antes de passar o sinal roubado para o jogador Brock Holt e depois para Dustin Pedroia, que estava machucado mas foi visto repassando o sinal para Chris Young.

Não roubar sinais é uma das “regras não escritas” do beisebol, a não ser que se tenha um corredor na segunda base, que fica de frente para o receptor. O maior problema no caso é a utilização de dispositivos eletrônicos e binóculos no banco de reservas, o que é expressamente proibido pela liga.

A franquia de Massachusetts confirmou a acusação após discussão com os diretores da liga. Os Red Sox tiveram o auxílio de replays em alguns jogos, entretanto, John Farrell, técnico de Boston, ficou isento de envolvimento na ação.

Questionado sobre o caso, Farrell confirmou à repórter Even Drellich, da CSNNE, que sabia da ilegalidade da prática. “Estou ciente da regra. Aparelhos eletrônicos não podem ser usados no ‘dugout’, mas, isso é um problema da MLB”, afirmou.

Após a polêmica, o próprio Red Sox, que assumiu a culpa, prestou queixa contra os Yankees pelo mesmo motivo. A argumentação é de que time de Nova Iorque usou imagens do seu próprio canal de televisão, a YES, para o mesmo fim: roubar sinais.

Não é a primeira vez que esses casos vêm à tona. O problema começou em 1951, quando o New York Giants (hoje San Francisco Giants), conseguiu se classificar para a pós-temporada depois de estar 13 vitórias atrás do Brooklyn Dodgers (hoje Los Angeles Dodgers). Quase 50 anos depois, o The Wall Street Journal revelou que funcionários do Giants usavam telescópios no estádio para roubar sinais e repassar aos seus jogadores.

Já em 1997, vários times acusaram o New York Mets de instalar pequenas câmeras no seu antigo estádio, o Shea Stadium. Os Mets nunca confirmaram e a MLB nunca tomou uma providência. Mais recentemente, em 2011, o Philadelphia Phillies também foi alvo de acusações de outros times. A reclamação é de que o time usava binóculos e outros dispositivos para efetuar os roubos. A liga nunca puniu e nem investigou o time.