Brasil enfrentará República Dominicana no Zonal da Copa Davis em 2018

  • Por Estadão Conteúdo
  • 20/09/2017 13h20
Dupla Marcelo Melo e Bruno Soares é um dos trunfos do Brasil ante a República Dominicana pelo Zonal Americano da Copa Davis

Após decepcionar diante do Japão, nos playoffs da Copa Davis, no fim de semana, o Brasil conheceu nesta quarta-feira seu adversário de estreia na próxima temporada. Será a República Dominicana, em confronto fora de casa, em sua estreia no Zonal Americano da competição.

Se vencer, a equipe brasileira vai enfrentar na segunda rodada o vencedor do duelo entre Colômbia e Barbados. O eventual confronto contra o bom time colombiano seria fora de casa. Contra Barbados, seria disputado em solo nacional. O Brasil precisa de duas vitórias no Zonal para voltar aos playoffs da Davis, em busca da vaga no Grupo Mundial, a elite do tênis.

Em tese, a equipe dominicana é inferior ao time brasileiro, derrotado por 3 a 1 pela desfalcada equipe do Japão, no fim de semana, em Osaka. O principal tenista da República Dominicana é Victor Estrella Burgos, de 37 anos, atual 79º do ranking. Depois dele, os mais bem colocados no ranking são Jose Hernandez-Fernandez, 343º, e Roberto Cid Subervi, 622º.

Por também não ter tenistas de maior destaque nas duplas, a República Dominicana desponta como azarão no duelo contra o Brasil, que tem dois tenistas dentro do Top 100 – Rogério Dutra Silva e Thomaz Bellucci – e dois especialistas em duplas – Marcelo Melo e Bruno Soares.

Mas, se confirmar o favoritismo sobre o time dominicano, o Brasil deve encontrar problemas na sequência do Zonal. O rival mais provável é a Colômbia, que conta com os experientes Santiago Giraldo (130º) e Alejandro Falla (341º) e o jovem Daniel Elahi Galan, em ascensão no circuito. Ele tem 21 anos é o 245º do ranking.

GRUPO MUNDIAL – O Brasil conheceu seu próximo adversário na Davis no sorteio realizado nesta quarta, quando a Federação Internacional de Tênis (ITF, na sigla em inglês) definiu também os confrontos do Grupo Mundial, tendo a França e a Bélgica, finalistas deste ano, como principais cabeças de chave.

O time francês, de Jo-Wilfried Tsonga, Gael Monfils e Richard Gasquet, vai estrear contra a Holanda, enquanto a equipe belga, liderada por David Goffin, terá a Hungria pela frente. Entre os demais confrontos, o que deve gerar maior expectativa é o que reunirá a Espanha, de Rafael Nadal, e a Grã-Bretanha, de Andy Murray.

A Suíça, que pode ter os retornos de Roger Federer e Stan Wawrinka, vai estrear contra o Casaquistão. E a Sérvia, de Novak Djokovic, terá os Estados Unidos pela frente na rodada de abertura.

Outro duelo interessante poderá ter Marin Cilic, defendendo a Croácia, contra o jovem Denis Shapovalov, pelo Canadá. Algoz do Brasil no fim de semana, o Japão vai encarar a Itália, de Fabio Fognini. O confronto restante terá a Áustria, de Dominic Thiem, contra a Alemanha, de Alexander Zverev.