CAS confirma desqualificação de medalhistas olímpicas russas

  • Por Agência EFE
  • 26/07/2018 10h35
Daniel Ramalho/Rio 2016Todas elas foram flagradas pelo COI, após contraprovas das amostras, e foram consideradas culpadas por consumir o anabolizante Oral-Turinabol

Após análises de recursos, a Corte Arbitral do Esporte (CAS) confirmou nesta quinta-feira (26) as desqualificações por doping que o Comitê Olímpico Internacional (COI) impôs a três atletas russas, entre elas as medalhistas de prata do lançamento de dardo, Mariya Abakumova, e do salto em distância e salto triplo, Tatyana Lebedeva, nos Jogos Olímpicos de 2008, realizado em Pequim.

A terceira punição ratificada foi para a ciclista Ekaterina Gnidenko, que participou dos Jogos Olímpicos de 2012, em Londres.

Todas elas foram flagradas pelo COI, após contraprovas das amostras, e foram consideradas culpadas por consumir o anabolizante Oral-Turinabol (DHCMT, clorohidrometiltestosterona, pelo seu nome científico).

As esportistas alegaram no recurso que os métodos de análise usados pelos laboratórios não foram válidos, argumento rejeitado pelo CAS, que ouviu todas as partes em audiência em maio deste ano.

Vale lembrar que Lebedeva teve uma disputa acirrada pela medalha de ouro com a brasileira Maurren Maggi no salto em distância em 2008. Na última rodada, a russa anotou uma marca um centímetro pior que Maggi (7,04m x 7,03m), que se tornou a primeira campeã olímpica em esportes individuais do Brasil.