Com ótima largada, Bottas resiste à pressão de Vettel e vence GP da Áustria

  • Por Agência EFE
  • 09/07/2017 10h39
Vitória no GP da Áustria foi a segunda da carreira de Bottas, da Mercedes

Com uma grande largada, que inclusive gerou suspeitas de queima, e braço firme para resistir às investidas do alemão Sebastian Vettel (Ferrari) nas últimas voltas, o finlandês Valtteri Bottas conquistou neste domingo a segunda vitória da carreira na Fórmula 1, desta vez no Grande Prêmio da Áustria.

Bottas, que em abril vencera o GP da Rússia, saiu na pole position no circuito Red Bull Ring (antigo A1 Ring), em Spielberg, e teve um tempo de reação de 0s2 no apagar das luzes vermelhas, o que fez com que a comissão de prova o investigasse – e não o punisse, já que a manobra foi legal. Nas últimas voltas, ele ainda foi atacado por Vettel, que, no entanto, teve de se contentar com a segunda posição.

Houve disputa também pelo terceiro lugar. O britânico Lewis Hamilton (Mercedes), que largou em oitavo lugar, fez de tudo para chegar lá, mas ficou na quarta colocação, atrás também do australiano Daniel Ricciardo (Red Bull), que subiu ao pódio pela quinta corrida seguida.

Na briga pelo título, Vettel abriu um pouco mais de vantagem, indo a 171 pontos, contra 151 de Hamilton, segundo colocado. Bottas continua em terceiro, agora um pouco menos distante, com 136.

Único brasileiro do grid, Felipe Massa partiu de trás, na 17ª colocação, ganhou oito posições logo na primeira volta, mas depois teve apenas desempenho regular e cruzou a linha de chegada em nono, uma posição à frente de seu companheiro de equipe, o canadense Lance Stroll.

Também se colocaram na zona de pontuação, do quinto ao oitavo lugares, nesta ordem: o finlandês Kimi Raikkonen (Ferrari), o francês Romain Grosjean (Haas) e os pilotos da Force India, o mexicano Sergio Pérez e o também francês Esteban Ocon.

Havia uma expectativa de chuva, que acabou não se confirmando durante quase todo o GP. Caíram algumas gotas na parte final da prova, mas não influenciou na classificação final. Na largada, Bottas continuou na ponta, e um choque causado pelo russo Daniil Kvyat (Toro Rosso) tirou o espanhol Fernando Alonso (McLaren) e o holandês Max Verstappen (Red Bull) da disputa.

Considerado culpado pelo acidente, Kvyat conseguiu continuar na pista, embora tenha sido punido com uma passagem pelos boxes.

Mais atrás, Massa mais uma vez fez grande largada, saltando da penúltima fila para a metade de cima do grid e ainda trazendo Stroll consigo.

A partir de então, a corrida perdeu em emoção, com poucas ultrapassagens. Na 31ª volta, Kevin Magnussen avisou à Haas pelo rádio que teve problemas com a direção hidráulica, entrou nos boxes e abandonou por recomendação da equipe.

Na ponta deste o início, Bottas só parou após a 41ª volta, voltando na segunda posição, atrás de Raikkonen, que ainda não tinha parado, e à frente de Vettel, que já tinha feito o pit stop.

Na volta número 45, o finlandês da Mercedes fez a parada e voltou à disputa na quinta posição, sendo ultrapassado também por Ricciardo e Hamilton, que assumiram o terceiro e o quarto lugares, respectivamente.

Pouco depois foi a vez de Felipe Massa entrar nos boxes, quando ocupava a sexta posição, atrás de Raikkonen. Ao voltar para a pista, o brasileiro caiu para a nona colocação, na qual ficou até cruzar a linha de chegada.