Coreia do Sul propõe competir junto com Coreia do Norte na Olimpíada de Tóquio

  • Por EFE
  • 22/08/2018 09h45
TwitterAs duas Coreias já entraram juntas em aberturas de Jogos Olímpicos

O ministro de Esportes da Coreia do Sul, Do Jong-whan, disse nesta quarta-feira (22) que propôs ao titular da mesma pasta da Coreia do Norte, Kim Il-guk, a participação dos dois países com equipes unificadas nos Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020.

Fontes do departamento de Relações Públicas da delegação sul-coreana confirmaram à Agência Efe as reuniões entre os dois ministros durante os Jogos Asiáticos que acontecem nestes dias na Indonésia.

“Falamos sobre o que fazer com as equipes combinadas em relação às Olimpíadas de Tóquio”, disse o ministro sul-coreano em Palembang, na ilha de Sumatra, onde as duas Coreias competem juntas em canoagem e remo, segundo a agência “Yonhap”.

Do também sugeriu a participação de forma conjunta no Festival Nacional de Esportes de Seul em 2019 e no Campeonato Mundial da Federação Internacional de Natação em Gwangju, na Coreia do Sul.

O político sul-coreano acrescentou que ainda é necessário consultar atletas, federações e comitês esportivos envolvidos.

Na Indonésia, além do remo e da canoagem, as duas Coreias também formaram uma equipe conjunta de basquete feminino, e na cerimônia de abertura as duas delegações desfilaram juntas sob uma mesma bandeira.

Os dois países, que tecnicamente ainda estão em guerra, participaram em fevereiro dos Jogos de Inverno de PyeongChang, na Coreia do Sul, com uma equipe unificada de hóquei feminino, mas ainda não competiram juntos em nenhuma edição dos Jogos de Verão.

Os Jogos de PyeongChang foram o início de um período de aproximação entre Seul e Pyongyang, que foi seguido por várias cúpulas entre os líderes dos dois países.

O presidente sul-coreano, Moon Jae-in, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, manterão na capital da Coreia do Norte em setembro seu terceiro encontro, após duas reuniões anteriores na fronteira intercoreana, em abril e maio deste ano.

Além disso, na cúpula de abril, os líderes também chegaram a um acordo para retomar as reuniões entre familiares de ambas as partes que foram separados pela Guerra da Coreia, algo que não ocorria desde 2015 e cuja primeira rodada termina hoje na Coreia do Norte.