EUA afirmam que não permitirão que “Pyongyang sequestre imagem dos Jogos”

  • Por EFE
  • 07/02/2018 09h16
EFE EFE Vice de Trump, Mike Pence estará presente na Cerimônia de Abertura dos Jogos de PyeongChang

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, disse nesta quarta-feira (7) que seu país “não permitirá que a propaganda norte-coreana sequestre a imagem e a mensagem dos Jogos Olímpicos”, antes de comparecer na próxima sexta (9) à cerimônia de abertura das Olímpiadas de Inverno em PyeongChang (Coreia do Sul).

“Não permitiremos que (a Coreia do Norte) esconda atrás da bandeira olímpica a realidade de que eles escravizam sua população e ameaçam outros países”, afirmou Pence, em uma entrevista coletiva em Tóquio, após se reunir com o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe.

Pence está em viagem oficial pelo Japão, antes de seguir para a Coreia do Sul para acompanhar a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno. Na ocasião, desfilarão lado a lado os atletas do Norte e o Sul e também estará presente uma delegação de alto nível enviada pelo regime de Kim Jong-un.

“Estarei ali para animar nossos atletas, mas também para permanecer junto aos nossos aliados e para lembrar ao mundo que o regime norte-coreano é o mais tirânico e opressivo do planeta”, destacou Pence.

O vice-presidente americano também aproveitou a ocasião para anunciar que os Estados Unidos aplicarão uma nova rodada de sanções econômicas contra a Coreia do Norte, “as mais duras e agressivas até a data” e destinadas a pôr fim aos seus programas armamentísticos.

Estas novas medidas punitivas “serão reveladas em breve” e estão dirigidas “a continuar isolando a Coreia do Norte até que abandone de uma vez por todas seus programas nucleares e de mísseis”, afirmou Pence, que não deu mais detalhes sobre as sanções adicionais planejadas por Washington.

O vice-presidente reiterou a estratégia frente a Pyongyang do governado liderado por Donald Trump, baseada em “não repetir os erros do passado” com o hermético regime, em “intensificar a pressão” sobre o mesmo e em “manter abertas todas as opções”.

Sua viagem a Japão e Coreia do Sul acontece em um momento de distensão entre Seul e o regime de Kim Jong-un por ocasião dos Jogos de Inverno, e em meio a especulações sobre possíveis encontros durante o evento entre a delegação norte-coreana e responsáveis sul-coreanos e inclusive com o próprio Pence.