Ex-jogador da seleção da África do Sul é assassinado em Johanesburgo

  • Por Jovem Pan
  • 16/07/2019 13h32
Gavin Barker/BackpagePixMarc Batchelor

O ex-jogador da seleção sul-africana de futebol Marc Batchelor foi assassinado ontem à noite a tiros em seu carro quando voltava para casa, na zona norte da região metropolitana de Johanesburgo, como familiares confirmaram hoje.

Batchelor, que começou a como atacante e depois se reinventou como defensor, morreu após ter recebido vários disparos de dois homens em uma moto que abriram fogo contra o seu veículo.

As balas atravessaram o vidro junto ao assento do ex-jogador de 49 anos, que morreu na hora. O jardineiro da vítima também estava no carro, mas saiu ileso.

“Há algo que pode sintetizar o meu irmão, e é os seus últimos momentos na Terra. Estava com seu jardineiro, a quem ele amava e adorava. A primeira reação de Marc quando os disparos começaram foi dizer ao jardineiro: ‘se abaixe, se abaixe’. A sua primeira preocupação foi com ele”, declarou o irmão do ex-atleta, Warren Batchelor, em entrevista à emissora de televisão “SABC”.

A Polícia abriu a investigação de um caso de homicídio e, por enquanto, os motivos do ataque não estão claros.

Batchelor vestiu a camisa de Kaizer Chiefs, Orlando Pirates e Mamelodi Sundowns, as três principais equipes da África do Sul, além de ter defendido a seleção do país.

Também ganhou notoriedade por ter sido testemunha no julgamento do ex-velocista Oscar Pistorius, condenado por assassinar a namorada, a modelo Reeva Steenkamp, em 2013. Isso porque os dois ex-atletas trocaram ameaças por causa de uma suposta infidelidade de outra ex-parceira de Pistorius.

  • Com informações da EFE