Falcão detona mudanças nas regras do futsal: “retrocesso total”

  • Por Jovem Pan
  • 16/02/2018 15h21 - Atualizado em 16/02/2018 16h13
Guilherme Mansueto/ Magnus FutsalMaior jogador da história do futsal, Falcão criticou três das quatro mudanças nas regras aprovadas pela Fifa

A Fifa aprovou na última quarta-feira quatro importantes mudanças nas regras do futsal. A partir de agora, os laterais e escanteios poderão ser cobrados com as mãos ou com os pés; o goleiro-linha só poderá ser utilizado pela equipe que estiver perdendo a partida; os goleiros não poderão mais lançar a bola diretamente ao ataque – ela terá de tocar na quadra de defesa antes de chegar à outra metade; e as disputas por pênaltis em jogos eliminatórios terão cinco cobranças, e não mais três.

Algumas dessas regras eram utilizadas nos anos 1990 e, segundo a Fifa, foram retomadas para que, em conjunto com as novas, proporcionassem um “aumento no número de gols no esporte”. O Brasil, representado pela Confederação Brasileira de Futsal (CBFS), participou da assembleia organizada pela entidade e só votou contra a mudança nas cobranças de laterais e escanteios.

No entanto, o maior nome da história da modalidade não concordou com as alterações. Em entrevista exclusiva ao repórter Diogo Mesquita que vai ao ar no próximo Domingo Esporte, na Rádio Jovem Pan, Falcão detonou três das quatro mudanças aprovadas pela Fifa – a única que passou “ilesa” foi a do aumento de três para cinco cobranças nas disputas por pênaltis em jogos eliminatórios.

“Eu achei um retrocesso total. Hoje, se fosse para promover um aumento no número de gols, eu aumentaria a distância das traves em um palmo para os lados e um palmo para cima, alguma coisa desse tipo… Mas essas regras, você mudar totalmente o esporte… Eu sou totalmente contra”, disparou.

Confira, abaixo, o que Falcão falou sobre cada uma das três mudanças das quais discorda!

Laterais e escanteios poderão ser cobrados com as mãos ou com os pés

“Na verdade, foi um retrocesso, porque antigamente já era com a mão. (A obrigação de cobrar laterais e escanteios) com os pés foi uma evolução, até porque o espaço é curto… Com o pé, você mexe com a qualidade dos jogadores. Com a mão, você perde mais um motivo de melhorar o passe e o posicionamento dos jogadores nas categorias de base”.

Goleiros não poderão mais lançar a bola diretamente ao ataque

“Você tirar a possibilidade de um goleiro deixar um companheiro na cara do gol, seja a partir de um tiro de meta, seja a partir de um contra-ataque, é outro retrocesso muito grande. Essa mudança tira muito da chance de você pegar um adversário desprevenido em um contra-ataque. O jogo fica mais lento. Se a intenção era a de proporcionar mais gols, eu não sei quem fez essas mudanças, se essa pessoa joga futsal… Porque, para mim, não cabe voltar a regras que eram usadas nos anos 90”.

Goleiro-linha só poderá ser utilizado pela equipe que estiver perdendo a partida

“Isso não existe, porque você pode estar empatando o jogo e precisando vencer para se classificar. Ou precisando de saldo de gols… Eu não sei se essas pessoas pensaram nisso, porque estar perdendo ou ganhando é muito relativo. É uma regra totalmente desnecessária e que até me estranha, porque os europeus têm muita força na Fifa, e, em 2012, a Espanha perdeu o Mundial no goleiro-linha, perdeu também o Europeu para o Cazaquistão no goleiro-linha. Na minha opinião, essa decisão foi muito direcionada.”

As mudanças aprovadas pela Fifa passarão a valer nas próximas competições oficiais organizadas pela entidade e pelas Confederações espalhadas pelo mundo.