Fla discorda de conselheira que criticou eSports e ofendeu autistas

  • Por Jovem Pan
  • 27/02/2019 09h52
ReproduçãoMarion foi alvo de muitas críticas

Mais uma polêmica atingiu o Flamengo nesta semana. Uma conselheira do clube fez críticas duras ao time de eSports do Rubro-Negro e até ofendeu autistas. Por isso foi divulgada uma nota oficial do Fla sobre o assunto, deixando claro que o clube discorda dela.

As críticas da conselheira Marion Kaplan aconteceram no Twitter. Ela reclamou do destaque dado ao time de videogame do Flamengo: “quem diria, hein? Flamengo divulgando um nerd da pior espécie, símbolo do antiesporte, e nada do futebol feminino. Nem uma linha”.

Muitas pessoas criticaram Marion, que depois piorou a polêmica. Ela tentou ofender os jogadores de eSports chamando-os de autistas. Acabou ofendendo também as pessoas que sofrem com esse transtorno. Ela não aguentou as críticas e até apagou a conta no Twitter.

Depois Marion criou outra conta para pedir desculpas aos autistas, mas insistiu que seguirá lutando contra os eSports no Flamengo: “prezados autistas e familiares, depois de 48h sendo atacada por nerds, eu perdi a cabeça e chamei eles de autistas. Peço desculpas e agradeço a paciência e gentileza com que conversaram e me trataram. Vocês são especiais. E-sport no CRF serei sempre contra! Lamento! Mas me desculpei com os autistas”, afirmou, piorando a polêmica.

Diante dessa situação, que gerou comentários de jogadores importantes de eSports e também do influenciador Felipe Neto, o Flamengo se manifestou. Em nota oficial, deixou claro que discorda da conselheira, apesar de defender que ela pode expressar críticas pessoas. O clube não citou nada sobre a falta de atenção ao futebol feminino, que também foi uma crítica de Marion.

Veja a nota do Flamengo na íntegra:

A sócia Marion Kaplan é uma das 2700 pessoas que compõem o Conselho Deliberativo do Clube de Regatas do Flamengo. Assim como qualquer sócio proprietário, ela pode exercer seus direitos estatutários e se inscreveu para fazer parte do CODE em janeiro deste ano. As mensagens que ela postou em suas redes sociais refletem única e exclusivamente sua opinião pessoal e o Flamengo não compactua com estas ideias

O Flamengo viu na criação de uma equipe de eSports a chance de expandir a área de atuação do clube e atender o imenso e fiel público que acompanha games dentro e fora do Brasil. Os esportes eletrônicos trazem infinitas possibilidades por oferecer uma enorme gama de estilos de jogos e por nos conectarem com o público jovem. Como tendência natural do mercado, já chamou atenção de outros clubes de futebol. O Flamengo eSports trabalha com um orçamento independente e é autossustentável, contando hoje com cinco patrocinadores de grande representatividade no mercado.