Fórmula 1: Chefe da Mercedes diz que ‘não se pode imaginar’ GP no Brasil em 2020

Na opinião de Toto Wolff, realizar o GP do Brasil em 2020 está fora de discussão devido ao alto número de casos de Covid-19 no país

  • Por Jovem Pan
  • 03/07/2020 12h25
EFECarro da Mercedes no GP do Brasil de 2017

Ainda não confirmado no calendário da temporada 2020 da Fórmula 1, o GP do Brasil pode não ser realizado em função do alto número de casos e mortes pelo coronavírus. Nesta sexta-feira (3), no primeiro dia de atividades do fim de semana do GP da Áustria, o chefe da Mercedes, Toto Wolff, declarou ser “inimaginável” correr no país e nos Estados Unidos nesse momento.

O campeonato da Fórmula 1 se iniciou oficialmente nesta sexta-feira com a realização dos primeiros treinos livres para o GP da Áustria. O calendário, porém, ainda nem está finalizado, contendo, nesse momento, apenas oito corridas, todas elas na Europa.

Antes do início da pandemia do coronavírus, a Fórmula 1 previa a disputa de três corridas na América, os GPs dos Estados Unidos (25 de outubro), México (1º de novembro) e Brasil (15 de novembro). Essas provas foram adiadas, assim como outras seis, não tendo uma nova data definida – outras sete acabaram sendo canceladas.

Na avaliação de Wolff, dificilmente as provas brasileira e americana vão ser disputadas em 2020. “Olhando para esses países agora, não se pode imaginar que iríamos para lá”, afirmou o dirigente em entrevista à TV britânica BBC.

Wolff explicou que tem conversado com o chefão da Fórmula 1, Chase Carey, sobre o calendário da temporada da Fórmula 1. “Baseado em minhas conversas com Chase Carey, ele não quer fechar nenhuma porta, mas não parece que iremos para estes locais. Eles são muito cuidados e não irão lá se for arriscar as pessoas”, acrescentou.

*Com Estadão Conteúdo