Hamilton usa relógios, anéis e colares em protesto contra proibição de joias na Fórmula 1 

‘Isso é quase um passo para trás, se você pensar nos avanços que fazemos como esporte’, disparou o heptacampeão mundial

  • Por Jovem Pan
  • 06/05/2022 15h32 - Atualizado em 06/05/2022 15h51
EFE/EPA/GREG NASH Lewis Hamilton protestou contra a proibição de joias na Fórmula 1 Lewis Hamilton protestou contra a proibição de joias na Fórmula 1

Lewis Hamilton promoveu nesta sexta-feira, 6, um protesto contra uma nova regra da Fórmula 1, que proíbe os pilotos de utilizarem joias, correntes ou piercings durante as corridas. Insatisfeito com a medida, implementada pelo diretor de provas Niels Wittich, o astro da Mercedes apareceu em entrevista coletiva, que precede o GP de Miami, utilizando três relógios, diversas correntes e pelo menos oito anéis em ato contra a norma.

“Olha, estamos em Miami. Isso é uma coisa tão pequena. Estou no esporte há 16 anos, uso joias há 16 anos. No carro eu só uso os brincos e o piercing no nariz, que não dá pra tirar. Parece desnecessário entrarmos nessa briga”, opinou o heptacampeão da Mercedes, criticando a medida adotada desde o mês passado, no GP da Austrália. “Não consegui colocar mais joias que isso hoje. Nem tenho muito mais a acrescentar do que eu já disse da última vez, isso é quase um passo para trás, se você pensar nos avanços que fazemos como esporte, nas questões e causas mais importantes em que precisamos nos concentrar e realmente fazer pressão por elas”, acrescentou.

A Federação Internacional de Automobilismo (FIA), por sua vez, ainda não divulgou quais punições os pilotos podem sofrer em caso de infração. Como justificativa, a entidade alega que a regra foi criada para proteger os pilotos. Além disso, a federação deu até o GP de Mônaco, no 29 de maio, para o inglês retirar seus piercings. Este, no entanto, não é o primeiro embate de Hamilton com a entidade. No começo desta temporada, o heptacampeão mundial foi punido em 50 mil euros (cerca de R$ 267 mil) por faltar a premiação da temporada 2021 em dezembro passado, a qual coroou Max Verstappen como campeão mundial.