Hamilton vence GP da Emiglia-Romana e chega a 93 vitórias na Fórmula 1

Com a pontuação atingida no circuito de Ímola, Hamilton pode ser campeão na próxima etapa, o Grande Prêmio da Turquia, que ocorre daqui a duas semanas

  • Por Jovem Pan
  • 01/11/2020 11h35 - Atualizado em 01/11/2020 11h36
EFE/EPA/Miguel Medina / PoolBottas, Hamilton e Ricciardo celebram o pódio no GP de Emiglia-Romana, na Itália

Lewis Hamilton levou a melhor neste domingo no Grande Prêmio da Emiglia-Romana, no circuito de Ímola, na Itália, e bateu a marca de 93 vitórias na Fórmula 1. Esta foi a prova em que a Mercedes garantiu matematicamente o título do Mundial de Construtores pelo sétimo ano seguido. O britânico chegou a 282 pontos na temporada, e abriu 85 para o companheiro de equipe, o finlandês Valtteri Bottas. Na semana passada, ao vencer o GP de Portugal, Hamilton deixou o alemão Michael Schumacher para trás, e se tornou sozinho o piloto com mais idas ao topo do pódio na categoria.

Com a pontuação atingida no circuito de Ímola, Hamilton pode ser campeão na próxima etapa, o Grande Prêmio da Turquia, que ocorre daqui a duas semanas. Entre as combinações possíveis, por exemplo, está chegar na segunda colocação, desde que conquiste o ponto extra pela volta mais rápida. Além disso, a Mercedes garantiu pela sétima vez consecutiva o título do Mundial de Pilotos, ao alcançar os 479 pontos na temporada. Logo atrás está a Red Bull, que não marcou hoje e ficou estacionada na marca de 226.

Em Ímola, depois de Hamilton e Bottas, ficou o australiano Daniel Ricciardo, da Renault, que conseguiu o segundo pódio no ano e ainda abriu maior vantagem como o quarto colocado no Mundial de Pilotos. O top5 foi completado pelo russo Daniil Kvyat, da AlphaTauri, um dos destaques da reta final da etapa, quando ganhou posições e lutou bravamente para ir ao pódio, e pelo monegasco Charles Leclerc, da Ferrari, que já vinha de quarto lugar em Portugal. Ainda pontuaram o mexicano Sergio Pérez, da Racing Point; o espanhol Carlos Sainz e o britânico Lando Norris, ambos da McLaren; o finlandês Kimi Raikkonen e o italiano Antonio Giovinazzi, pilotos da Alfa Romeo, que ampliou a vantagem para Haas e Williams, na disputa no bloco final da tabela do Mundial de Construtores.

A decepção da prova ficou com o holandês Max Verstappen, da Red Bull, que teve bom início, lutou muito para tentar se colocar ao menos entre os dois carros da Mercedes, no entanto, teve um pneu estourado e acabou abandonando. O francês Pierre Gasly, da AlphaTauri, que utilizou um capacete em homenagem a Ayrton Senna, foi outro que não concluiu o Grande Prêmio da Emiglia-Romana, após ter problemas mecânicos logo nas primeiras voltas.

*Com Agência EFE