Kevin Durant, astro da NBA, compra 5% das ações de time da MLS

  • Por Jovem Pan
  • 16/06/2020 08h38
ReproduçãoKevin Durant é astro da NBA

O ala Kevin Durant, do Brooklin Nets, se tornou o mais recente astro dos esportes americanos a investir dinheiro na MLS, a principal liga de futebol dos Estados Unidos, ao comprar ações do Philadelphia Union.

Durant se juntou oficialmente aos proprietários da equipe profissional americana com seu investimento de 5% em ações da equipe da Filadélfia e a opção de obter outros 5% no futuro.

Ele se junta a jogadores como James Harden, do Houston Rockets, e Russell Wilson, quarterback do Seattle Seahawks, como investidores nas franquias da MLS.

Harden adquiriu ações do Houston Dynamo, que também tem o ex-pugilista Oscar De La Hoya, e Wilson o fez com o Seattle Sounders, atual vencedor da MLS Cup.

O acordo também inclui uma parceria com a Thirty Five Ventures, entidade comercial e filantrópica liderada por Durant e pelo executivo de negócios esportivos Rich Kleiman.

Esse aspecto do acordo será focado no crescimento da marca da equipe em todo o mundo, trabalhando junto ao sindicato nas oportunidades do mercado comercial e expandindo o alcance comunitário da organização em colaboração com a Kevin Durant Charitable Foundation (KDCF).

O ala-pivô, que sempre foi um fã do futebol internacional, também focou sua atenção na evolução do esporte nos Estados Unidos, onde todas as equipes da MLS foram significativamente renovadas nos últimos anos.

De acordo com Jay Sugarman, o maior proprietário do sindicato, a equipe está avaliada em mais de US$ 325 milhões, o que significa que Durant teve que investir quase US$ 17 milhões em sua nova participação.

A proximidade da residência – Durant está em Nova York – permitirá que a estrela dos Nets tenha contato direto com a Filadélfia, onde ele espera desenvolver ao máximo o trabalho de sua fundação.

Durant também reconheceu que o investimento foi um primeiro passo em seu objetivo de algum dia possuir uma equipe da NBA. Um sonho para o qual ele disse que vem trabalhando, embora tenha admitido não ser algo fácil por exigir muito tempo e grande capital.

*Com EFE