Kyrie Irving doará US$ 1,5 milhão para atletas que não vão disputar WNBA

Jogadoras decidiram não entrar em quadra como um protesto por uma reforma social nos EUA

  • Por Jovem Pan
  • 27/07/2020 18h28
Reprodução / Twitter / Boston CelticsIniciativa de Irving busca ajudar atletas da WNBA

Kyrie Irving, armador do Brooklyn Nets, confimou que doará US$ 1,5 milhão, cerca de R$ 7,8 milhões, para as jogadoras da WNBA que decidirem não disputar a temporada por causa da pandemia ou como protesto por justiça social.

O dinheiro virá da KAI Empowerment Initiative (iniciativa de empoderamento, em tradução livre), lançada pelo atleta nesta segunda-feira, que também oferecerá um programa de educação financeira às atletas criado pela multinacional UBS.

Com a ajuda de Natasha Cloud, do Washington Mystics, e Jewell Loyd, do Seattle Storm, que decidiram não disputar a temporada, Irving disse que conseguiu entrar em contato com outras jogadoras que também não irão entrar em quadra.

“Já que são pessoas que decidiram lutar contra a justiça social, jogar basquete, se concentrar na saúde física ou mental, ou simplesmente se conectar com suas famílias, essa iniciativa pode apoiar as prioridades e decisões delas”, disse o jogador.

A liga feminina de basquete dos Estados Unidos começou no último sábado, e será disputada inteiramente na IMG Academy, na cidade de Bradenton, na Flórida. As jogadoras decidiram não entrar em quadra como um protesto por uma reforma social nos Estados Unidos. Ao todo, ainda não se sabe quantas profissionais da WNBA serão qualificadas para o programa de Irving.

Se a decisão de se excluir voluntariamente da temporada seja por razão médica, isso deve estar relacionado à pandemia. Nestes casos, a liga pagará o salário completo da jogadora em questão.

* EFE