Lembrança de Senna ajudou Hamilton em Cingapura: “como se falasse comigo”

  • Por Jovem Pan
  • 18/09/2017 11h29 - Atualizado em 18/09/2017 11h35
Diego Azubel / EFE Hamilton abriu 28 pontos de vantagem sobre Vettel

Nem o mais otimista torcedor de Lewis Hamilton imaginava uma vitória tranquila do inglês no GP de Cingapura do último domingo (17). A chuva intensa e o acidente envolvendo os dois carros da Ferrari logo na primeira curva fizeram Hamilton subir da quinta colocação onde largou para o primeiro lugar, posição que manteve até o fim da prova e o deixou com a liderança isolada na temporada.

Após a vitória, Hamilton credenciou a calma que teve durante toda a corrida, mesmo com Ricciardo chegando próximo em alguns momentos, ao seu ídolo, o piloto brasileiro Ayrton Senna. Segundo o piloto da Mercedes, era como se Ayrton estivesse falando com ele durante a prova.

“Esta foi nossa primeira vez pilotando aqui (Cingapura) na chuva, então foi um grande desafio. Senna surgiu na minha mente. Seu GP de Mônaco, onde ele estava na liderança e bate no muro. Isso sempre vem à cabeça e me lembra de não fazer isso. É quase como se ele falasse comigo: ‘fique concentrado, mantenha tudo encaixado”, declarou o inglês.

O GP de Mônaco lembrado por Hamilton foi o de 1988. Senna liderava com larga vantagem, mas acabou batendo na entrada do túnel e permitiu que Alain Prost ficasse com a vitória. Após a prova no Principado, Ayrton venceria mais sete corridas e conquistaria o seu primeiro título mundial.

Fã declarado de Senna, Lewis Hamilton está vivendo uma temporada repleta de emoções em relação ao seu ídolo. No GP do Canadá ele igualou o recorde de pole-positions que pertencia ao brasileiro e foi presenteado com um capacete de Ayrton. Visivelmente emocionado, o inglês fez questão de declarar que “empatar com Senna era uma honra”.