Rafael Nadal diz não acreditar em retorno de torneios a curto e médio prazo

  • Por Jovem Pan
  • 16/04/2020 09h11
EFE/EPA/WILL OLIVERRafael Nadal se lamentando durante partida de tênis

Confinado em sua casa em Palma de Maiorca, na Espanha, o tenista Rafael Nadal disse que acredita ser difícil que o circuito profissional volte a ter competições nas próximas semanas devido à pandemia do novo coronavírus, a qual chamou de “tragédia”.

“O tênis é global, e a questão não é jogar com portões fechados ou não, mas sim a organização do evento mobilizando a todos. Até que haja uma cura, será difícil ter qualquer competição. Agora temos de ter responsabilidade, e é difícil pensar em um torneio oficial a curto ou médio prazo”, declarou o atual segundo colocado do ranking mundial às emissoras de rádio espanholas “Onda Cero” e “COPE”.

Nadal não entra em quadra desde o dia 1º de março, quando conquistou o título do ATP 500 de Acapulco, no México. Depois, iria para Indian Wells disputar o Masters 1000 local, mas todos os eventos foram cancelados a partir de então.

“Você tem que pensar no bem geral e na saúde dos tenistas e das pessoas ao redor deste esporte. O principal é superar a tragédia”, completou o dono de 19 títulos de Grand Slam.

O atleta de 33 anos, confinado há três semanas, revelou que vem se adaptando à rotina de ter que ficar em casa. “Nós, seres humanos, nos adaptamos ao que há. No começo, passava todo o dia vendo as notícias e, como eram tão terríveis, não tinha vontade de fazer nada. Ia me exercitando, mas com pouca motivação, triste, chateado. Era difícil ter vontade de me levantar, ficava o dia todo por conta da TV, e não havia nada positivo. Mas agora voltei à minha rotina e só penso positivamente. Há pessoas que estão muito mal e nós aqui estamos muito bem”, relatou o espanhol, que minimizou o fato de não ter uma quadra de tênis em casa.

“O que me preocupa menos neste momento é o tênis. Trabalho de casa para que o corpo não atrofie, mas isto é grave, dura muito tempo e há muitas pessoas sofrendo uma terrível realidade”, destacou.

Outro tenista confinado na Espanha é o sérvio Novak Djokovic. O número 1 do mundo também participou do programa em cadeia das duas emissoras de rádio e se disse bem e saudável, mas também admitiu que não será simples programar a volta dos torneios.

“Não é uma decisão fácil para os tenistas pensar na volta do circuito ou em jogar com portões fechados porque o que está acontecendo é algo muito grave, maior que nosso esporte. Acredito que é preciso esperar alguns meses”, analisou Djokovic.

*Com EFE