Red Bull confirma Alexander Albon para 2020; Toro Rosso terá Kvyat e Gasly

  • Por Jovem Pan
  • 12/11/2019 10h05
Reprodução / Twitter / Red Bull RacingAlexander Albon correrá pela Red Bull em 2020

Equipes com forte ligação na Fórmula 1, Red Bull e Toro Rosso confirmaram nesta terça-feira suas duplas de pilotos para a temporada 2020. A primeira, que já tinha certa a permanência de Max Verstappen, garantiu o tailandês Alexander Albon para o próximo ano. Já o time satélite da Red Bull vai manter o russo Daniil Kvyat e o francês Pierre Gasly.

A maior expectativa recaía sobre a manutenção de Albon na equipe maior. O tailandês ganhou uma chance na Red Bull no decorrer da atual temporada, em substituição a Gasly, que não rendeu o esperado e foi “rebaixado” para a Toro Rosso. Mesmo sob pressão, o tailandês, que mora na Inglaterra desde a infância, conseguiu agradar aos exigentes dirigentes do time austríaco.

Albon deixou a Fórmula 2 no fim do ano passado com poucas chances de chegar à F-1, neste ano. Ele tinha até encaminhado contrato com a equipe Nissan para disputar a Fórmula E, de carros elétricos. No entanto, desistiu de última hora para acertar com a Toro Rosso. Pela equipe, disputou 12 corridas nesta temporada, até ser “convocado” para reforçar a Red Bull a partir do GP da Bélgica, no início de setembro.

Mesmo inexperiente, Albon somou 16 pontos pela Toro Rosso. Pela Red Bull, vem sendo ainda melhor. Ele terminou as sete corridas já disputadas entre os seis melhores, acumulando mais 68 pontos. O tailandês de 23 anos ainda busca o seu primeiro pódio na categoria.

“Alex vem exibindo desempenho extremamente bom desde a sua estreia pela equipe, na Bélgica. E os seus resultados falam por si mesmos”, elogia Christian Horner, chefe da Red Bull. “Há ainda muito potencial para ser liberado futuramente. Estamos ansiosos para ver Alex correndo ao lado de Max em 2020.” O holandês tem contrato até o fim do próximo ano.

Quase ao mesmo tempo em que a Red Bull confirmou Albon, a Toro Rosso também assegurou a permanência da sua atual dupla de pilotos. “Rebaixado”, Gasly teve como prêmio de consolação neste ano a renovação do seu contrato com a equipe menor. Na primeira metade do campeonato, ele foi alvo de seguidas críticas por parte de dirigentes e dos fãs da Red Bull, em razão da sua performance abaixo do esperado pelo time maior.

“Estou feliz por manter Pierre e Daniil para a próxima temporada Ambos os pilotos mostraram boas performances nesta temporada e provaram que podem ser muito competitivos, que são capazes de explorar o potencial do carro e que podem dar valioso retorno para fazermos aperfeiçoamentos”, disse o chefe da Toro Rosso, Franz Tost.

Com as definições da Red Bull e da Toro Rosso, a “dança das cadeiras” na Fórmula 1 ficará restrita a apenas um assento nas últimas semanas do campeonato. Para 2020, no momento, há disponível somente a vaga do polonês Robert Kubica, na Williams. Ele anunciou com antecedência que não pretende seguir pilotando pela equipe britânica no próximo ano.

Assim, somente o jovem britânico George Russell está garantido no time para 2020. O mais cotado para assumir a vaga de Kubica é o canadense Nicholas Latifi, atualmente na Fórmula 2.

*Com informações do Estadão Conteúdo