Ricciardo supera problema no motor, segura Vettel e vence GP de Mônaco

  • Por Estadão Conteúdo
  • 27/05/2018 13h30 - Atualizado em 27/05/2018 13h34
EFEDaniel Ricciardo comemora a vitória no GP de Mônaco

Depois de dominar todos os treinos, o australiano Daniel Ricciardo manteve a primeira colocação após a largada e deu a impressão que ganharia com folga o GP de Mônaco de Fórmula 1 neste domingo (27). No entanto, o carro teve problema de potência a partir da metade da prova e o piloto da Red Bull passou sufoco para conter as investidas do alemão Sebastian Vettel, da Ferrari.

No fim das contas, a tão esperada vitória veio, a primeira dele no tradicional circuito de Montecarlo. O triunfo também pode ser encarado como redenção do piloto, que ficou no quase na temporada de 2016. Há dois anos, Ricciardo havia feito a pole em Mônaco e vinha para uma vitória tranquila, quando a equipe errou na parada dos boxes e ele finalizou a prova em terceiro lugar.

Vettel garantiu a segunda colocação neste domingo e o inglês Lewis Hamilton, da Mercedes, completou o pódio. As primeiras posições na classificação geral seguem inalteradas. No entanto, Hamilton viu diminuir sua vantagem na liderança de 17 para 14 pontos em relação ao alemão.

O destaque da corrida ficou por conta do companheiro de Ricciardo, o holandês Max Verstappen. Depois de ficar de fora do classificatório por conta de uma batida no terceiro treino livre, ele largou em último no grid e tratou de fazer uma corrida de recuperação finalizando em nono lugar, dentro da zona de pontuação.

Logo na largada, Verstappen deixou dois carros para trás. E durante toda a prova foi buscando as pequenas brechas no circuito com menos pontos de ultrapassagens da temporada. O holandês era também um ponto de apoio para o líder Ricciardo.

Na metade da corrida, o australiano viu Vettel se aproximar a avisou a equipe que estava perdendo potência. Os engenheiros não encontravam o problema no carro e avisaram ao australiano que as coisas não iriam melhorar, que seguisse acelerando.

O alemão chegou a ficar meio segundo atrás de Ricciardo, mas as dificuldades do traçado foram favoráveis ao australiano. Aos poucos, o piloto da Red Bull conseguiu abrir distância de pouco mais de um segundo.

Ricciardo, no entanto, seguia falando com a equipe que estava sem potência. Os engenheiros pediam que ele seguisse tranquilo, pois estava andando, praticamente, no mesmo ritmo de Verstappen. Quem não teve a mesma sorte foi o espanhol Fernando Alonso, que também teve problema de potência e precisou abandonar a prova.

Verstappen seguia tentando se aproximar das primeiras colocações Destaque para sua ultrapassagem no espanhol Carlos Sainz Jr, no “esse”. O holandês veio por dentro na segunda curva, chegou a colocar duas rodas na zebra e assumiu a nona colocação. A direção de prova analisou a manobra e considerou legal.

A seis voltas do término, o monegasco Charles Leclerc, que conduzia a Sauber na 12ª colocação, teve problemas no freio, jogou o carro no guard-rail, mas não conseguiu evitar a colisão com o neozelandês Brendon Hartley, da Toro Rosso, que estava na frente.

Após a bandeira amarela, Ricciardo deu sorte, pois Vettel encontrou dificuldade para ultrapassar um retardatário e facilitou a vitória do australiano. Verstappen tentou pressionar o alemão Nico Hülkenberg, companheiro de Sainz da Renault, mas não encontrou mais espaço e ficou mesmo em nono, com Carlos Sainz Jr em décimo. O francês Pierre Gasly, da Toro Rosso, se manteve à frente dos dois e terminou em sétimo.

A quarta colocação ficou com finlandês Kimi Raikkonen, da Ferrari, com o compatriota Valtteri Bottas, da Mercedes, em quinto, e o francês Esteban Ocon, da Force India, em sexto. A próxima etapa da Fórmula 1 será disputada no dia 10 de junho, no GP do Canadá.