Triste com ausência brasileira, Fittipaldi vê Pietro na F1 “em alguns anos”

  • Por Jovem Pan
  • 23/11/2017 10h00 - Atualizado em 23/11/2017 11h10
Facebook/ReproduçãoEmerson Fittipaldi é avô de Pietro, brasileiro campeão da World Series Fórmula V8 3.5

Desde que Emerson Fittipaldi estreou na Fórmula 1, em 1970, o Brasil sempre teve ao menos um representante na principal categoria do automobilismo mundial. Essa incrível sequência de 47 anos chegará ao fim em 2018, quando o País não contará com nenhum piloto no grid.

O fato tem entristecido não só os fãs de F1 no Brasil, como também o próprio Fittipaldi.

Em entrevista exclusiva a Nilson Cesar e Alex Ruffo, para a Rádio Jovem Pan, o primeiro brasileiro campeão de Fórmula 1 lamentou o País fora da categoria. Detentor dos títulos de 1972 e 1974, Fittipaldi definiu como “muito triste” a situação do Brasil na F1.

“É muito triste, por saber que eu abri esse caminho com Wilson (Fittipaldi), José Carlos Pace… Aí depois vieram tantos talentos como Nelson Piquet, Ayrton Senna… E tudo isso dentro de um segmento muito forte, com o público brasileiro acompanhando o esporte todo fim de semana. Aí veio Rubinho, Massa, tantos brasileiros que passaram pela Fórmula 1. E isso sempre me deixou muito orgulhoso… O ano que vem vai ser muito triste!”.

Ao longo da história, 31 pilotos brasileiros já passaram pela Fórmula 1. O primeiro foi Chico Landi, em 1951. O último? Felipe Massa, que vai se despedir da categoria no próximo domingo, após o GP de Abu Dhabi. O País soma oito títulos mundiais, o que o coloca no Top 3 de todos os tempos – atrás apenas de Reino Unido (17) e Alemanha (12). Tamanha tradição faz com que Fittpaldi se chateie e cobre mais incentivo pela volta dos melhores dias.

“Temos de apoiar mais. O esporte a motor é muito caro, precisa de apoio financeiro, de determinação… No Brasil, todo mundo que investe quer um retorno maior. A exigência por um retorno financeiro, muitas vezes, é exagerada, quando, na verdade, poderia ser algo mais nacionalista, de orgulho brasileiro, e que infelizmente não existe por aqui. Esse é o problema. Precisamos ter uma base formada no Brasil, desde o kart. É daí que virão os futuros campeões mundiais.”

Pietro Fittipaldi: o próximo brasileiro na F1?

Curiosamente, um dos poucos brasileiros com perspectiva de chegar à Fórmula 1 em um futuro não tão distante leva Fittipaldi no nome. Pietro, neto de Emerson, tem se destacado nas categorias de acesso à F1.

No último fim de semana, por exemplo, Pietro se sagrou campeão da World Series Fórmula V8 3.5, categoria de onde saíram pilotos como Fernando Alonso, Sebastian Vettel e Robert Kubica. Aos 21 anos, o neto de Emerson tem se consolidado como uma das principais promessas do mundo. Uma ascensão à F1 parece ser questão de tempo.

“Ele está muito bem! Bateu o recorde de pole positions na categoria, que era do Vettel, ganhou o título… Na minha opinião, ele está com uma base muito boa para chegar à Fórmula 1. Imagino isso acontecendo em breve, dentro de alguns anos”, afirmou Emerson.

Até lá, ao que tudo indica, restará lamentar por uma Fórmula 1 sem brasileiros…

Pietro Fittipaldi