UFC: Deiveson Figueiredo finaliza Joseph Benavidez e é campeão dos moscas

Brasil volta a ter um campeão nas divisões masculinas do UFC pela primeira vez desde junho de 2017

  • Por Jovem Pan
  • 19/07/2020 10h50
Reprodução/Instagram"Estou muito feliz, trabalhei duro para isso, sabia que meu momento ia chegar. Essa é a hora", disse Deiveson

Com uma atuação fulminante, incomum para uma disputa de título, Deiveson Figueiredo foi implacável e atropelou Joseph Benavidez neste sábado, na Ilha da Luta, em Abu Dabi, nos Emirados Árabes. O brasileiro finalizou o americano com um mata-leão aos 4m48s do 1º round e se tornou o novo campeão peso-mosca do UFC. Deiveson foi dominante no combate, de modo que aplicou três knockdowns em Benavidez, que resistiu o quanto conseguiu e ainda escapou de dois mata-leões antes de sofrer o golpe derradeiro que encerrou a luta e deu o título dos moscas para o brasileiro.

“Estou muito feliz, trabalhei duro para isso, sabia que meu momento ia chegar. Essa é a hora. Vou trabalhar duro para manter por muito tempo. Eu sou o campeão e estarei sempre preparado para os próximos desafios. Eu sou um cara que veio do Marajó, desde criança trabalho com animais bravos, adquiri o instinto selvagem destes animais e sou um feroz dentro do octógono. Eu queria dar este show e levar o cinturão para minha cidade, Soure, para Belém do Pará e levar o cinturão para todos os brasileiros”, disse Deiveson, eufórico, após o triunfo.

Com a vitória de Deiveson, o Brasil volta a ter um campeão nas divisões masculinas do UFC pela primeira vez desde junho de 2017, quando José Aldo perdeu o título dos penas para Max Holloway. Nesse período, O próprio Aldo tentou duas vezes e não conseguiu voltar a ser campeão. Deiveson também perdeu uma chance quando não bateu o peso. Além de Demian Maia, Rafael dos Anjos, Marreta e Marlon Moraes.

Deiveson, por sua vez, se torna o terceiro campeão da história dos pesos-mosca no Ultimate, se juntando à relação que tem os americanos Demetrious Johnson e Henry Cejudo. O outro cinturão de posse do Brasil pertence à Amanda Nunes, atual campeã do peso-pena (até 66kg).

Brasileiros

Outros cinco brasileiros subiram ao octógono neste sábado e, além de Deiveson, só Ariane Lipski saiu vitoriosa. Em sua quarta luta no Ultimate, ela derrotou a compatriota Luana Dread de forma espetacular em duelo pelo peso-mosca. A “Rainha da Violência” achou um espaço mínimo e conseguiu aplicar uma chave de joelho para vencer o confronto em apenas 1min28s, com uma rara finalização no MMA.

Já os outros três brasileiros em ação saíram derrotados. Na abertura do card principal, Alexandre Pantoja foi superado por Askar Askarov por decisão unânime (triplo 29-28). Com o triunfo o russo fica perto de ganhar uma chance para disputar o cinturão dos moscas (até 57kg) contra Deiveson Figueiredo.

Pantoja teve um início positivo e por pouco não conseguiu uma finalização no começo. Também acertou um direto de direita que levou o rival ao solo no último round. No entanto, Askarov foi mais regular na luta, especialmente na trocação, e ficou com a vitória.

No card preliminar, Davi Ramos e Carlos Boi foram superados por pontos em seus confrontos, que abriram o evento neste sábado na Ilha da Luta. Pelo peso-leve, Ramos foi derrotado pelo russo Arman Tsarukyan por decisão unânime (30-27, 30-27 e 29-28).

Já Boi, sem lutar desde 2017, sentiu a falta de ritmo em sua estreia no UFC e foi dominado pelo moldávio Sergey Spivake, que venceu por decisão majoritária (29-27, 29-27 e 28-28). O brasileiro peso-pesado vinha de oito vitórias e amargou o primeiro revés em sua carreira.

*Com Estadão Conteúdo