UFC: Gilbert Durinho vence Tyron Woodley e pede disputa de cinturão

  • Por Jovem Pan
  • 31/05/2020 15h14
Reprodução/UFCGilbert Durinho venceu no UFC e pediu disputa pelo cinturão

Gilbert Durinho avisou que venceria e que, se tivesse uma luta “dominante”, pediria para lutar pelo cinturão. O brasileiro cumpriu a palavra e alcançou a maior vitória da sua carreira ao derrotar com uma atuação incontestável o ex-campeão dos meio-médios, o norte-americano Tyron Woodley, por decisão unânime no UFC em Las Vegas.

Com o bom desempenho no combate, que resultou em decisão unânime dos juízes (50-45, 50-44 e 50-44) favorável a Durinho, o brasileiro engatou a sexta vitória seguida, a quarta na atual categoria, e pediu a oportunidade de disputar o cinturão do meio-médio diante do campeão, o nigeriano Kamaru Usman.

“Eu amo o campeão, meu amigo, Kamaru Usman. Tenho muito respeito por ele, mas eu sou o próximo. Quero lutar pelo cinturão. Podemos fazer em julho, não tenho um arranhão em mim”, afirmou Durinho após a luta.

Durinho foi superior e dominou o rival nos cinco rounds. No primeiro, deixou Woodley atordoado e o levou ao solo com golpes de curta distância e joelhadas. No assalto seguinte, o norte-americano tentou buscar brechas na trocação, mas o brasileiro soube se defender e seguiu ditando o ritmo do combate

O panorama não mudou muito nos rounds seguintes, com Durinho agressivo e veloz nos golpes que minaram e enfraqueceram o adversário. No quarto round, o brasileiro quase conseguiu uma finalização em um triângulo de mão, mas Woodley foi salvo pela buzina. No final, com o duelo praticamente assegurado, Durinho administrou o combate com segurança, escapando das investidas do ex-campeão para sair vitorioso do octógono.

MACKENZIE DERN FAZ HISTÓRIA 

Outros dois brasileiros que lutaram no card principal, Mackenzie Dern e Augusto Sakai, também venceram. A peso-palha mostrou um jiu-jítsu de alto nível e finalizou a norte-americana Hannah Cifers com uma chave de perna no primeiro round.

Dern disse que precisava da vitória para ganhar moral no UFC. Ela conseguiu mais: fez história ao se tornar a primeira lutadora da história do Ultimate em todas categorias femininas a conseguir esse tipo de finalização. De quebra, a norte-americana naturalizada brasileira chegou ao oitavo triunfo em nove lutas na carreira.

“Acho que é um começo, um bom passo para fazer história e mostrar o meu potencial. Não tem nada melhor do que conseguir uma finalização que ninguém conseguiu e mostrar que sou uma garota do jiu-jítsu, mas que estou pronta para o UFC e que estou indo buscar o cinturão”, celebrou Dern.

Já Sakai teve mais dificuldade para vencer seu confronto. Em uma luta morna e sem muita emoção, o peso-pesado brasileiro sofreu, mas conseguiu superar o búlgaro Blagoy Ivanov em decisão dividida dos juízes (27-30, 29-28 e 29-28), obtendo a quarto vitória consecutiva no UFC, no qual segue invicto.

O duelo foi equilibrado e de muito estudo. Fez a diferença a favor de Sakai seu muay thai bem trabalhado no segundo round e os bons chutes na linha da cintura do rival, além dos cruzados no terceiro assalto.

Klidson Abreu, outro brasileiro em ação em Las Vegas, mas no card preliminar, não teve o mesmo desempenho dos compatriotas e foi nocauteado pelo norte-americano Jamahal Hill, que se manteve invicto no UFC. O amazonense foi derrubado a 1min51s do primeiro round e sofreu seu terceiro revés em quatro combates na organização.

*Com Estadão Conteúdo