Usain Bolt alfineta rival em entrevista às vésperas do Mundial de Atletismo

  • Por Estadão Conteúdo
  • 01/08/2017 18h00 - Atualizado em 01/08/2017 18h06
Usain Bolt se prepara para disputar a última competição oficial de sua carreira

O velocista Usain Bolt alfinetou em entrevista coletiva nesta terça-feira (1º), em Londres, organizada pelo seu principal patrocinador, o rival canadense Andre De Grasse, considerado como possível sucessor do jamaicano para o título de homem mais rápido do mundo e também um de seus principais adversários na prova dos 100 metros no Mundial de Atletismo de Londres, que começará nesta sexta-feira (4).

“O último que falei que seria grande me desrespeitou, então não vou mais por este caminho”, disse Usain Bolt em resposta a um jornalista britânico antes do evento que marcará a sua despedida das pistas em competições oficiais.

Usain Bolt citou uma declaração que, na verdade, foi feita pelo treinador de Andre De Grasse, Stuart McMillian, para quem o canadense foi excluído da etapa de Mônaco da Diamond League a pedido do jamaicano. A fala não pegou bem e o staff de Bolt negou qualquer interferência no evento.

“Sete pessoas estarão naquela corrida (100 metros), estes serão os meus maiores desafiantes. Não sei para onde a carreira dele (Andre De Grasse) vai no futuro, ninguém sabe. No passado ele ganhou bronze, prata. Vamos ver o futuro. Será uma questão de consistência”, despistou Usain Bolt, que também participará do revezamento 4×100 metros no Mundial.

O jamaicano, de 30 anos, revelou que pode não ser o favorito para a prova dos 100 metros que o consagrou como uma das maiores lendas do esporte. “É o que estou lendo e o que a minha equipe está me dizendo. Então, tenho que me colocar à prova mais uma vez”, reconheceu. Usain Bolt não começou bem a temporada e chegou a correr acima de 10 segundos, mas mostrou ter melhorado a performance na etapa de Mônaco da Diamond League, quando atingiu a marca de 9s95, ainda longe do recorde pessoal, que é de 9s58.

Por outro lado, Usain Bolt demonstrou a sua costumeira confiança ao avaliar a carreira e projetar a sua participação no Mundial de Londres. “Me sinto confortável dizendo que sou uma lenda porque provei para mim mesmo. Não sabia que seria recordista mundial dos 100 metros. Tudo é possível. Simplesmente, você tem que ter isso em mente e trabalhar. Não há palavras para explicar o que tenho feito há anos e sinto orgulho de mim”, finalizou.

O Mundial de Atletismo de Londres será realizado entre os dias 4 e 13 deste mês no estádio Olímpico com a participação de aproximadamente dois mil atletas de 205 países, de acordo com estimativa da Associação Internacional de Federações de Atletismo.

Os 36 brasileiros inscritos começam a caminhada em busca de medalhas no dia da abertura, às 15h30min, na prova de salto em distância masculino com Paulo Sérgio Oliveira.