Pacquiao lamenta derrota e diz que pensou que tinha vencido Mayweather

  • Por EFE
  • 03/05/2015 05h13

"Acho que venci a lutaManny Pacquiao

O pugilista filipino Manny Pacquiao se mostrou surpreendido e frustrado ao ver como os três juízes da luta de unificação do título do peso meio médio disputada em Las Vegas deram como vencedor por decisão unânime o americano Floyd Mayweather Jr. quando considerou que ele tinha sido o vencedor.

“Acho que venci a luta, fui o que acertei mais golpes sólidos”, declarou Pacquiao quando ainda estava sobre o ringue e foi entrevistado pelas redes de televisão que transmitiram o evento. “Fiz todo o possível para que ele entrasse na luta e nunca quis”.

Pacquiao, que tinha sua marca em 57 vitórias, seis derrotas (agora sete) e dois empates, com 38 vitórias por nocaute, tentou de todas as maneiras entrar na guarda de Mayweather, que nunca foi o agressor, mas ao contrário, se limitou a manter sua estratégia de defesa impenetrável, correr pelo ringue, e colocar os golpes que o fizessem vencer para os juízes, como assim aconteceu.

O ex-campeão mundial filipino considerou errada a pontuação dos juízes e que tinha feito o suficiente no ringue para merecer melhor resultado.

“Distribuí golpes sólidos e acho que ganhei a luta”. No entanto, de acordo com as estatísticas da Compubox, Mayweather, de 38 anos, distribuiu 435 golpes dos quais acertou 148, ou seja, 34%.

Enquanto Pacquiao deu 429, dos quais apenas 81 atingiram o campeão Mayweather, ou seja, 19% de acerto com seus golpes.

A mesma fonte estatística mostrou que Pacquiao lançou 236 diretos, dos quais acertou 63 – 27% deles -, enquanto Mayweather tentou 168 e acertou 81 (48%).

“Acho que acertei mais golpes que ele”, insistiu Pacquiao, de 36 anos. “Nunca reclamo e estou muito surpreendido com as anotações nos cartões dos juízes; o acertei muitas mais vezes”.

Pacquiao, que levou uma remuneração garantida de US$ 25 milhões mais os US$ 80 milhões que espera conseguir pelos direitos de televisão por assinatura, reconheceu que a velocidade, dinâmica e estratégia de Mayweather tornou muito complicado que pudesse acertá-lo com mais força.

“Não pude dar mais golpes porque sempre está se movimentando ao redor”, explicou o ex-campeão filipino. “Não é fácil acertá-lo. Se tivesse ido mais de frente teria podido acertar mais golpes”.

Pacquiao insistiu que a pontuação dos juízes não refletiu o que aconteceu no ringue instalado no MGM Grand Garden Arena, de Las Vegas (Nevada).

“De todo modo, pude ver seus golpes e nunca me colocaram em perigo”, destacou Pacquiao. “Ele ficou se movimentando para fora. Fiquei cortando o ringue e o encontrei. Eu sim queria lutar”.

Quanto ao que será seu futuro, Pacquiao se limitou a dizer que agora vai tirar férias e depois pensará junto com sua equipe qual será o passo seguinte que dará como profissional.

O treinador de Pacquiao, Freddy Roach, admitiu que durante o intervalo entre os assaltos pediu que utilizasse mais combinações para tentar encontrar um espaço na guarda de Mayweather Jr.

Mas que foi insuficiente. “Não conseguimos encontrar o alvo fixo”, concordou com Pacquiao. “É preciso reconhecer que a estratégia de Mayweather de sair da distância de Manny funcionou muito bem”.

No entanto, tanto Pacquiao como Roach rejeitaram que a maior altura e envergadura de Mayweather foi o que impediu ser mais contundente em determinados momentos da briga, especialmente quando Pacquiao tentava acertar o campeão invicto e sempre escapava do perigo.

“Não se trata de tamanho, a estatura não importa”, assinalou Pacquiao. “Lutei contra outros maiores e nunca foi fator. Fui capaz de lidar com seu poder. Não é tão forte como rivais anteriores, como (Antonio) Margarito”.

Pacquiao também surpreendeu quando disse que tinha diminuído o ritmo da luta nos dois últimos assaltos porque pensava e estava convencido de que estava à frente nos cartões dos juízes.