Panamá pede investigação por manipulação após erros de árbitro na Copa Ouro

  • Por Agencia EFE
  • 25/07/2015 05h37

Filadélfia (EUA), 25 jul (EFE).- A Federação de Futebol do Panamá pediu neste sábado a abertura de uma investigação por manipulação de resultados dentro da Concacaf após os erros cometidos pelo árbitro americano Mark Geiger na semifinal da Copa Ouro.

O Panamá vencia o México por 1 a 0 até os 44 minutos do segundo tempo, quando Geiger anotou um pênalti bastante duvidoso após um toque de mão involuntário do zagueiro Torres. Depois, na prorrogação, o árbitro marcou nova penalidade máxima contra os panamenhos em outro lance polêmico, beneficiando os mexicanos, que converteram e saíram com a vaga na decisão do torneio.

A Concacaf segue sem fazer nenhum tipo de comentário oficial sobre a atuação do árbitro americano.

A entidade, porém, suspendeu por duas partidas o goleiro panamenho Jaime Penedo, um dos mais revoltados após as marcações, e o atacante Luis Tejada, expulso durante o confronto. Já a federação do país foi multada em US$ 15 mil.

Também receberam multas, sem valor informado pela Concacaf, o técnico do México, Miguel Herrera, e o meio-campista americano Michael Bradley pelas críticas à organização do torneio, algo que não é permitido pelo regulamento da entidade.

Inconformada com a atuação de Geiger, a Federação de Futebol do Panamá exige, através de seu presidente, Pedro Chaluja, uma investigação completa sobre os erros ocorridos na última quarta-feira no estádio Georgia Dome, em Atlanta.

“Compartilhamos a desilusão de termos que afirmar que as más decisões do árbitro foram deliberadas e motivadas por uma intenção de proteger a terceiros. Percebemos que essa partida foi combinada e não pela Federação Mexicana de Futebol, mas por outras pessoas”, acusou o dirigente panamenho.

“Essa mancha só poderá ser dissipada quando a Fifa e a Concacaf se unirem ao nosso chamado e passarem a colaborar para que ocorra uma investigação formal e minuciosa das circunstâncias que podem ter motivado o desempenho do árbitro Mark Geiger, tão desfavorável para o nosso país que terminou nos roubando a vitória”, acrescentou.

Chaluja também afirmou que o Panamá está sendo prejudicado porque votou contra a reeleição do suíço Joseph Blatter no último pleito realizado pela Fifa.

“Já me disseram que são represálias porque votei contra Blatter. Nos cabe exigir as investigações. É a única maneira de encontrarmos a verdade”, disse o presidente da federação panamenha. EFE