Para evitar domínio da Mercedes, diretor da McLaren quer regras mais brandas

  • Por Jovem Pan
  • 27/12/2014 12h31

McLaren vai testar motores Honda pela primeira vez nesta sexta-feira (14)

EFE McLaren durante prova da Fórmula 1

A Mercedes dominou completamente na Fórmula 1 em 2014. No Mundial de Construtores, a equipe terminou com 701 pontos, 296 a mais do que a Red Bulls, segunda colocada, e Lewis Hamilton e Nico Rosberg foram os dois primeiros do Mundial de Pilotos com certa sobra. O motor da equipe alemã foi bem superior ao dos rivais e, assim, Éric Boullier insiste que uma mudança é necessária.

Para o diretor de corrida da McLaren, a maior categoria do automobilismo mundial precisa suavizar o regulamento em relação aos motores de forma que as escuderias possam lançar atualizações durante a temporada. A Mercedes, contudo, parede não apoiar a ideia, alegando que os custos aumentariam de forma considerável.

“Fazer algo que vai aumentar estupidamente os custos não é algo que queremos. Mas é uma competição e nós podemos mudar os carros o quanto quisermos. No que diz respeito ao regulamento, acho que os motores deveriam ser congelados uma vez que todos os fabricantes tenham conseguido desenvolvê-lo. Se você não permite a competição, isso vai contra o espírito do esporte”, frisou Boullier, em entrevista ao site da revista britânica Autosport.

O diretor da McLaren, que contará com motores Honda em 2015, ainda teme que a Mercedes domine a Fórmula 1 por muitas temporadas caso o regulamento não seja abrandado.

“Eles se beneficiam do fato de que fizeram um trabalho muito bom e se beneficiam do fato e que o regulamento está travado com os motores congelados. O maior ganho que eles tiveram veio do motor e vai continuar sendo assim por alguns anos até que alguém consiga alcançá-los em termos de desenvolvimento”, analisou. “É nisso que eles estão se beneficiando e, se você pudesse descongelar o regulamento dos motores, você verá alguns alcançarem”, finalizou Boullier.