“Parece que o Palmeiras perdeu a vontade de ser grande”, diz ex-presidente

  • Por Jovem Pan
  • 23/09/2014 09h38
SÃO PAULO,SP,22.09.2014:PICHAÇÃO-PROTESTO PALMEIRAS - A sede da TUP (Torcida Uniformizada do Palmeiras), que fica na Praça Luis Carlos de Mesquita, na Barra Funda, zona oeste de São Paulo, SP, é pichada na noite deste domingo, (21), após a derrota da equipe diante do Goiás. (Foto: Marcos Bezerra/Futura Press/Folhapress)Organizada do Palmeiras protesta contra Paulo Nobre após goleada

“Reunir forças da sua alma profunda e se recuperar”. É isso que Luiz Gonzaga Belluzzo, ex-presidente do Palmeiras, espera que o clube faça para evitar um trágico rebaixamento no ano de seu centenário. Em entrevista exclusiva à Jovem Pan, o dirigente lamentou a situação do atual lanterna do Campeonato Brasileiro e afirmou que parece que o clube “perdeu a vontade de ser grande”. Ele ainda ressaltou que não é momento de pensar nas eleições no Verdão, que serão realizadas no final do ano, já que a solução para evitar o descenso é uma reunião de forças entre todos no time.

Tentando evitar um terceiro rebaixamento em doze anos, o Palmeiras vive péssima fase no Campeonato Brasileiro. O clube é lanterna com 22 pontos e é o time que mais perdeu no torneio, com 13 derrotas. “Se temos essa recorrência [de luta contra o rebaixamento], precisamos analisar friamente porque isso está ocorrendo. Parece que o Palmeiras perdeu aquela vontade de ser grande, mas é um clube enorme. Eu viajo pelo Brasil e vejo como o clube tem torcedores pelo país inteiro”, afirmou o ex-presidente, que comandou o clube em 2009 e 2010. 

Belluzzo evitou críticas graves a atual gestão de Paulo Nobre, mas alertou que a situação precisa ser revertida o mais rápido possível. “Não quero, de jeito nenhum, aumentar a angústia dos torcedores ou a instabilidade no clube. Fico muito preocupado porque podemos entrar em uma derrocada acumulativa e isso acaba afetando todo o elenco”, opinou. 

O ex-presidente alviverde ressaltou a importância de um clube centenário como o Palmeiras para o futebol do país. “O que me deixa angustiado também é que as pessoas me param na rua, todas preocupadas com essa situação. Precisamos concentrar nossa atenções na instituição e recuperá-la. A grande dela faz falta para o futebol e para a sociedade brasileira”. O Palmeiras completou 100 anos de história em agosto de 2014. 

Questionado sobre o futuro político do clube, Belluzzo evitou opinar sobre as eleições presidenciais no Verdão. “As eleições estão lá na frente. Nós, agora, temos que nos juntar para tirar o time dessa situação dramática”, frisou.

Sobre Valdívia, Belluzzo elogiou o talento do meia, mas não o defendeu no atual momento. “Eu não gosto de fazer ataques pessoais, mas ele está devendo. Toda vez que ele faz uma coisa daquela [expulsão diante do Flamengo, por agressão ao adversário], eu fico decepcionado”, admitiu o ex-presidente.