Paris Saint-Germain avisa que terá “orçamento limitado” para contratações

  • Por Agencia EFE
  • 03/07/2015 11h46
O brasileiro Maxwell marcou um dos gols da goleada que deixou o PSG mais perto do título francês

O presidente do Paris Saint-Germain, Nasser al Khelaifi, celebrou nesta sexta-feira (03) que a Uefa tenha levantado as restrições impostas ao clube da capital francesa para contratações, mas avisou que terá um orçamento limitado para contratar novos jogadores.

“Agora teremos a capacidade de sermos mais efetivos no mercado de contratações para fazer nossa equipe mais competitiva com os jogadores de reforço que necessita”, declarou à imprensa o principal responsável do Paris Saint-Germain.

O campeão do Campeonato Francês tinha seu orçamento para contratações limitado a 60 milhões de euros por descumprimento das regras do “fair play financeiro”, mas o Comitê de Supervisão Financeira da Uefa decidiu nesta semana aprovar a gestão do clube e cancelar as restrições.

Al Khelaifi lembrou que o Paris Saint-Germain terá que apresentar contas em equilíbrio orçamentário ao término do exercício 2015-2016 e que portanto o clube propriedade do Catar Sports Investment destinará seu dinheiro a “jogadores muito concretos”.

“Teremos um orçamento limitado”, acrescentou o presidente do Paris Saint-Germain, que insistiu que seu projeto tem como objetivo que o clube alcance “o topo do futebol europeu”.

O Paris Saint-Germain não ofereceu detalhes sobre a verba que destinará a contratações, mas a imprensa esportiva francesa estima que o clube disporá de entre 100 e 120 milhões de euros para contratar.

Laurent Blanc, treinador do Paris Saint-Germain, espera que os novos jogadores que cheguem ao clube sirvam para “regenerar o grupo”, enquanto a imprensa especializada fala da venda dos franceses Lucas Digne e Yohan Cabaye, do holandês Grégory van der Wiel, do ítalo-brasileiro Thiago Motta e do argentino Ezequiel Lavezzi.

Os jogadores que teoricamente o clube está de olho são grandes estrelas como o português Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, assim como o argentino Lionel Messi e o brasileiro Neymar, ambos do FC Barcelona, além do francês Paul Pogba, meio-campo da Juventus.

No entanto, o que parece que tem mais possibilidades de chegar em Paris é o argentino do Manchester United Ángel Di María.