Paulo Nobre apoia torcida única e pede “leis mais duras” contra vândalos

  • Por Jovem Pan
  • 06/04/2016 07h52
Paulo Nobre lamentou a queda do Palmeiras na Libertadores

Após decisão da Secretária de Segurança Pública do Estado de São Paulo que determinou que os clássicos entre os grandes clubes paulistas terão torcida única, o presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, se manifestou se mostrando favorável a medida do governo paulista.

Em vídeo divulgado pelo alviverde na última terça-feira (5), o mandatário apoiou a ação da secretária de Segurança Pública, mas alertou que apenas a torcida única não acabará com a violência entre as torcidas organizadas.

“Toda e qualquer medida que venha no sentido de coibir a violência ligada ao futebol terá o apoio da Sociedade Esportiva Palmeiras. Porém, não adianta se iludir achando que o clássico com torcida única que a violência acabou. Isso porque esses vândalos travestidos de torcedor de futebol podem muito bem se agrupar para promover a selvageria, como aconteceu no domingo passado, mesmo não podendo ir ao estádio. É muito importante que o Estado seja municiado de recursos para efetiva coerção dessa violência, é muito importante leis mais duras, processos mais sérios para que esses bandidos tenham a certeza da punibilidade. Só quando se individualizar as penas e realmente punir aqueles que de fato sujam e denigrem a imagem do futebol é que as coisas vão começar a mudar”, disse o presidente do Verdão.

Antes mesmo da medida tomada pela segurança paulista, Paulo Nobre já havia manifestado apoio aos clássicos com torcida única. Em 2015, no primeiro clássico disputado pelo Palmeiras o Allianz Parque, diante do Corinthians, Nobre solicitou que a partida fosse disputada apenas com torcedores alviverdes, mas não teve seu pedido acatado.

Após conflitos entre torcedores palmeirenses e corintianos, no último domingo (3), antes e depois do clássico disputado entre alviverdes e alvinegros no Pacaembu, a Secretária de Segurança Pública definiu que até o fim 2016, todos os clássicos disputados em São Paulo terão apenas torcedores dos clubes mandantes nos estádios.