Paulo Nobre cita decepção com Henrique e erro em contratação de Tirone

  • Por Jovem Pan
  • 30/01/2014 20h02
SÃO PAULO, SP, 22.10.2013 - COLETIVA DO PALMEIRAS - O presidente Paulo Nobre durante a coletiva do Palmeiras na Academia de Futebol, no bairro da Barra Funda, zona oeste da capital paulista, na tarde desta terça-feira (22). (Foto: Cesar Greco/Fotoarena/Folhapress)Paulo Nobre procurou acalmar o torcedor palmeirense durante entrevista coletiva

O zagueiro Henrique confirmou nesta quinta-feira a sua venda para o Napoli, da Itália. Paulo Nobre, presidente do Palmeiras, não fez força para segurar o capitão de sua equipe, não só pela vantagem financeira de negócio como também pela decepção que teve ao receber uma notificação da Justiça em meio ás negociações para acertar uma dívida com o defensor, nas palavras do próprio dirigente. 

► Confira a tabela do Campeonato Paulista

“Eu ficar chateado ou não é irrelevante, tem que pensar na instituição em primeiro lugar. É claro quando o meu capitão, no meio de uma discussão de parcelamento de uma dívida que o clube tinha com ele, conversa diretamente com o presidente e no meio desta conversa ele notifica judicialmente o clube em um ato preparatório para deixá-lo de graça é claro que isso é decepcionante. Mas senhores, estamos no meio do futebol, temos que tratar essas coisas com naturalidade”, lamentou Nobre. 

Henrique voltou ao Palmeiras em 2011. Um dos grandes nomes da gestão do ex-presidente Arnaldo Tirone, o zagueiro se tornou o capitão da equipe depois da saída de Marcos Assunção. Apesar de na época a diretoria ter anunciado que tinha conseguido o atleta de graça, o clube precisou negociar as luvas para o jogador e a alta comissão ao seu agente, o que fará com que boa parte do dinheiro vindo do Napoli vá para o empresário André Cury. Tamanha irresponsabilidade de seu antecessor gerou críticas por parte do presidente do Palmeiras. 

“O discurso quando ele veio era de que estava chegando de graça, só que a gente arcou uma dívida de R$ 5 milhões com quem o toruxecom quem o touxe e uma luva de R$1,8 milhão para o Henrique. O problema é quandose tem essa atitude, mas não pagam o jogador e o agente e empurram para gestões futuras.”, atacou Nobre, sendo que a diretoria do palmeiras estuda fazer uma auditoria contra as gestões de Tirone e Luis Gonzaga Belluzzo.  

Outro jogador que pode estar de saída pelo mesmo motivo é o volante Wesley. Os credores da contratação do atelta entraram na justiça e conseguiram bloquear o dinheiro que o clube receberia da televisão em fevereiro, fazendo com que a diretoria estudasse a venda do jogador para quitar todas as suas dívidas. 

Nobre não comenta sobre o assunto, defendendo que é uma questão para o Departamento Jurídico do palmeiras, mas alfinetou novamente as gestões anteriores, criticando os altos salários oferecidos para os atletas. “Com relação com as partes dos acordos, eu teria feito de uma maneira diferente, mas foi o que as gestões anteriores conseguiram fazer”, concluiu