Peruana perde ouro obtido na maratona do Pan; brasileira pode virar bicampeã

  • Por Agencia EFE
  • 04/09/2015 20h41

Lima, 4 set (EFE).- O Comitê Executivo da Organização Esportiva Pan-Americana (Odepa) decidiu retirar a medalha de ouro obtida na maratona pela peruana Gladys Tejeda, por doping, em decisão que pode favorecer a brasileira Adriana Aparecida da Silva, informou nesta sexta-feira o presidente da entidade, o argentino Julio Maglione.

A punição foi revelada em entrevista do dirigente à rádio “Ovación”, do Peru, e ocorreu depois da confirmação do uso pela atleta de substância proibida pela Agência Mundial Antidoping. Tejeda, desde o primeiro resultado, nega as acusações.

“Vamos retirar a medalha, baseados no informe médicos. É possível apelar, e isto agora é com a Federação Internacional de Atletismo (IAAF)”, explicou o presidente da Odepa.

Tejeda venceu a maratona, no primeiro dia de competições do Pan, com o tempo de 2h33min03s. Pouco mais de dois minutos depois, chegou Adriana Aparecida da Silva, que poderá ser declarada vencedora da prova, se tornando assim bicampeã panamericana.

A americana Lindsay Flanagan passaria da terceira para a segunda colocação, enquanto a canadense Rachel Hannah herdaria a medalha de bronze. Outra brasileira na disputa, Marily dos Santos subiria para a quarta posição na disputa. EFE

fgg/bg