Pistorius volta a afirmar que não atirou deliberadamente na namorada

  • Por Agencia EFE
  • 09/04/2014 15h04
EFE Pistorius repetiu que atirou achando que tinha um ladrão na sala

Oscar Pistorius reiterou nesta quarta-feira sua inocência no caso da morte a tiros da namorada, a modelo Reeva Steenkamp, em audiência marcada por exibição de foto da vítima baleada, choro do atleta, e acusação da promotoria de que o acusado está caindo em contradição nos depoimentos.

“Não disse que não atirei. Disse que não o fiz de forma deliberada. Esta é a verdade sobre o que aconteceu. Sou inocente, porque não aconteceu aquilo do que estão me acusando”, garantiu Pistorius, durante interrogatório comandado pelo promotor Gerrie Nel.

Logo no início da audiência, Nel pediu que Pistorius olhasse atentamente para uma fotografia do ferimento na cabeça de Steenkamp. O promotor ainda afirmou que o velocista paralímpico está mentindo.

“O senhor cometeu um erro? O senhor matou uma pessoa. O senhor disparou e matou Reeva”, disse, antes de exibir um vídeo em que o atleta sul-africano atirava contra uma melancia, em um campo de tiro.

Nas imagens, que chegaram a ser exibidas por uma emissora de televisão, a melancia explode após o tiro, e ao fundo se ouve voz, que seria de Pistorius dizendo: “bem mais macio que um cérebro”.

“O senhor sabe que o mesmo aconteceu com a cabeça de Reeva, que explodiu”, bradou Nel, que ainda pediu que a imagem da modelo baleada fosse exibida para todo o júri.

Pistorius chorou muito e, aparentemente nervoso, se negou a olhar diretamente para as fotos, enquanto o promotor cobrava a confissão do crime de assassinato.

“Toquei sua cabeça com os dedos, não tenho que olhar esta foto”, disse Pistorius.

Após protesto da defesa de Pistorius, a juíza Thokozile Masipa obrigou que o promotor parasse de exibir a foto, e adiou a audiência por alguns minutos. O atleta precisou ser consolado pelos irmãos e precisou conversar com o psicólogo pessoal por alguns minutos.

Posteriormente, Pistorius respondeu perguntas sobre a declaração sob juramento que deu em fevereiro do ano passado, que o colocou em liberdade após pagamento de fiança. Segundo Nel, houve contradições entre aquele depoimento e os do julgamento atual.

O velocista garantiu novamente que atirou em Reeva acreditando que estava atingindo um ladrão. Perguntado se desejava matar o intruso, Pistorius respondeu que não teve tempo para pensar no que faria exatamente.

Pistorius, de 27 anos, baleou a namorada no dia 14 de fevereiro do ano passado, em sua casa na cidade sul-africana de Pretória. A promotoria o acusa de assassinato intencional, que teria acontecido após uma discussão.

O julgamento aconteceu no dia 3 de março e está previsto para acabar apenas no dia 16 de maio.