Pivô do polêmico rebaixamento da Lusa, Héverton desmente boatos e foca na final da Série C

  • Por Jovem Pan
  • 20/11/2014 19h52
MOGI MIRIM, SP - 09.11.2014: SÉRIE C/MOGI MIRIM X PAYSANDU - Magal e Heverton em lance - Partida entre Mogi Mirim e Paysandu, válida pela semifinal do Campeonato Brasileiro da Série C, no estádio Romildo Ferreira, em Mogi Mirim, no interior de São Paulo, neste domingo. (Foto: Luciano Claudino/Codigo19/Folhapress)Héverton disputa a bola em partida contra o Mogi Mirim. Meia tenta focar na final da Série C.

Héverton se tornou um dos personagens principais do futebol brasileiro no ano passado e no começo deste ano, mas de um modo que não gostaria. Por conta de sua escalação irregular para a partida contra o Grêmio na última rodada do Campeonato Brasileiro de 2013, a Portuguesa foi punida com a perda de quatro pontos e, assim, acabou rebaixada para a Série B, salvando o Fluminense e o Flamengo da degola.

Agora, o meia do Paysandu volta à memória dos torcedores. Recente investigação do Ministério Público de São Paulo concluiu que dirigentes da Lusa receberam dinheiro para deixar de informar o clube sobre a proibição da participação do jogador naquela partida. Em entrevista à rádio Jovem Pan, Héverton condenou a suposta operação para prejudicar a Portuguesa.

“Fico muito triste em saber até onde vai o ser humano, ao se vender para prejudicar o próximo. Isso para mim é inadmissível, e mais uma vez somos surpreendidos com o que acontece”, disse Héverton. “Espero que os culpados paguem, pois isso quase acabou com a minha carreira e com a minha vida. E não só isso: também quase acabou com a Portuguesa”.

Ainda tendo salários a receber do ex-clube, Héverton espera decisão judicial para conseguir o pagamento enquanto comemora a nova fase no Paysandu, onde conseguiu o acesso à Série B de 2015 e disputará o segundo jogo da final da Terceira Divisão neste sábado, 22 de novembro, contra o Macaé. O primeiro jogo terminou empatado em 1 a 1, e um empate sem gols ou uma vitória simples já garantem o título para o Papão.

“Aqui está tudo uma maravilha. O Pará é um Estado que abriu as portas para mim e me recebeu super bem. Agora estamos numa final de campeonato, jogamos por um empate para sermos campeões. Muitos disseram até que era loucura vir jogar a Série C, mas só posso agradecer a Deus por ter vindo pra cá”, festejou o meia.

Héverton ainda desmentiu algumas afirmações sobre o episódio envolvendo o rebaixamento da Lusa. Uma delas, aventado pela própria Portuguesa, dá conta de que seu ex-companheiro, o meia Souza, teria inventado uma lesão para não jogar a fatídica partida contra o Grêmio e, assim, abrir o caminho para Héverton ser escalado. Segundo o jogador, ambos já conversaram sobre o assunto e não existe a menor possibilidade de a acusação ser verdade.

Outro boato é de que o Paysandu seria patrocinado pela Unimed, patrocinadora do Fluminense, o que indicaria uma ligação entre o tricolor carioca e o atual clube do meia. De acordo com ele, a empresa de planos de saúde não patrocina o Papão há sete ou oito anos.

“Como esconderam um monte de situações, é normal aparecerem [os boatos]. Mas estão inventando um monte de coisas para tirar o foco. Eu só quero saber da final de sábado e esquecer esse assunto”, concluiu.