Polícia Federal dá 72h para estrangeiros invasores do Maracanã deixarem país

  • Por Agencia EFE
  • 18/06/2014 21h51
Chile's fans, who managed to enter the stadium without tickets, knock over a parition in the press area, before the Group B football match between Spain and Chile at the Maracana Stadium in Rio de Janeiro during the 2014 FIFA World Cup on June 18, 2014. AFP PHOTO / YASUYOSHI CHIBAChilenos sem ingresso invadem Maracanã antes de jogo contra Espanha

A Polícia Federal deu um prazo de 72 horas para que os 85 torcedores estrangeiros – principalmente chilenos – detidos nesta quarta-feira (18) por terem invadido o centro de imprensa do estádio do Maracanã para tentar assistir à partida entre Espanha e Chile pela Copa do Mundo deixem o país.

“Em relação aos torcedores estrangeiros que invadiram o Centro de Mídia no Maracanã nesta quarta-feira, a Polícia Federal informa que notificou os 85 indivíduos a deixar o país em um prazo máximo de 72 horas”, disse a PF em comunicado.

Os torcedores que se negarem a cumprir esse prazo serão deportados de forma sumária, acrescenta a nota.

Apesar das informações iniciais darem conta de que os 85 detidos eram chilenos, a Polícia Federal os tratou como estrangeiros e não esclareceu se havia torcedores de outras nacionalidades.

A Fifa informou que os invasores, que não tinham ingressos para a partida, “forçaram de forma violenta a entrada ao estádio e quebraram algumas barreiras para passar pelos segurança”.

De acordo com a entidade que rege o futebol, todos os invasores, que passaram correndo pela sala de imprensa do estádio em uma tentativa de buscar um acesso às arquibancadas e provocaram alguns danos, foram contidos e impedidos de chegar até os assentos.

A Fifa informou que anunciará em breve as medidas que adotará para evitar invasões como esta e a que ocorreu na partida entre Argentina e Bósnia no Maracanã, no último domingo, quando nove torcedores argentinos foram detidos.

A maioria dos torcedores, que usava a camisa da seleção chilena, foi detida dentro da sala de imprensa, onde não achou acesso às arquibancadas e terminou se rendendo sem oferecer resistência.

Antes da detenção, os torcedores quebraram alguns painéis para tentarem passar a outra ala do estádio.

Parte dos torcedores foi levada a uma delegacia no interior do Maracanã, e outra parte a delegacias de bairros vizinhos devido à elevada quantidade de detidos.