Pontaria falha e São Paulo fica no zero a zero com o Joinville em Santa Catarina

  • Por Lancepress
  • 02/09/2015 21h34
JOINVILLE,SC,02.09.2015:JOINVILLE-SÃO-PAULO - Lance durante a partida entre Joinville SC e São Paulo SP válida pela Série A do Campeonato Brasileiro 2015 no Estádio Arena Joinville em Joinville (SC), nesta quarta-feira (02). (Foto: Carlos Jr/Futura Press/Folhapress)Apesar de ter sido movimentado

Antes do início da partida da 22ª rodada do Campeonato Brasileiro, Juan Carlos Osorio pediu para que a saída de oito atletas do São Paulo fosse esquecida. O técnico pediu para que o “bom time” montado contra o Joinville fosse valorizado, mas para que a confiança do colombiano fosse confirmada era preciso ter mais sorte. Era preciso correr menos riscos e voltar da Arena Joinville com um placar melhor do que o 0 a 0 da noite desta quarta-feira.

A sorte poderia ter começado a mudar aos 19 minutos, com um dos velozes contra-ataques puxados por Paulo Henrique Ganso, em noite inspirada. A bola sobrou limpa para Wilder Guisao soltar a bomba, desviar na marcação catarinense e explodir no travessão de Agenor. A lamentação do atacante colombiano, que já parou duas vezes na trave em cinco jogos, seria mínima em comparação que aconteceria na partida.

O JEC, com extrema dificuldade para controlar a bola no primeiro tempo, só conseguiu entrar nos trilhos quando PC Gusmão sacou Kadu para Kempes virar a referência e Marcelinho Paraíba criar. Na técnica e na vontade, o Coelho disparou com Edgar Junio. O problema é que a bola teimou: bateu na trave direita, na trave esquerda e fugiu do perigo da grande área já aos 45 minutos do primeiro tempo.

Havia tempo ainda para o São Paulo responder. Michel Bastos, com passe açucarado de Wesley, poderia completar a plástica do lance, mas exagerou no capricho e perdeu oportunidade claríssima. A jogada foi a mais lamentada pelos paulistas na noite, e também a última antes de Agenor fazer milagre diante de Pato já depois dos acréscimos.

O segundo tempo todo foi do Joinville, sempre com a maestria de Marcelinho Paraíba. Foi assim que Renan Ribeiro teve de trabalhar três vezes para salvar os são-paulinos, que mais uma vez contaram com a trave no caminho de Edgar Junio. Da pressão catarinense, o São Paulo escapou com um ponto amargo, longe de ser suficiente para manter o time de Osorio no G4, agora com 35 pontos. A ressalva é que o empate também não deixou o JEC lá tão animado: 20 pontos e a penúltima colocação mantida.