Popó analisa Mayweather x Pacquiao e provoca: “sempre fugiram de mim”

  • Por Lucas Reis/Jovem Pan
  • 29/04/2015 11h59
Popó foi campeão mundial dos super-penas e pesos-leves de Boxe

Último grande nome do boxe brasileiro com destaque internacional, Acelino “Popó” Freitas analisou a tão esperada luta entre Floyd Mayweather e Manny Pacquiao, que acontece no próximo sábado (02), em Las Vegas, nos Estados Unidos. Em conversa exclusiva com a Jovem Pan Online, Popó elogiou os dois lutadores, destacou que as personalidades de ambos fazem com que a luta ganhe uma proporção gigantesca e afirmou que já tentou enfrentar tanto o americano, quanto o filipino.

“A luta de Pacquiao e Mayweather não é uma luta só do século. É uma luta que atrai muito dinheiro, vende muito pay-per-view, atrai vários famosos do mundo todo. Não digo que vai ser só uma luta, vai ser um show de boxe. Com a rapidez, precisão da canhota de Pacquiao, o estilo esconderijo de Mayweather, ele sabe esconder o rosto muito bem atrás daquela guarda. Pacquaio quando começa a bater no primeiro round, só termina no 12º. O Mayweather começa a crescer muito depois do 4º, 5º round. Acho que vai se uma grande luta, eu apostava muito no Mayweather, na qualidade técnica dele, mas hoje já estou 50% pra um e 50% pra outro. O Pacquiao, quando começa a bater, não para mais, tenho certeza que vai bater muito no corpo de Mayweather”, afirmou Popó, explicando que o fato de Pacquiao ser menor que Mayweather proporciona que o filipino ataque o corpo do americano.

O ex-campeão mundial comparou o estilo dos lutadores dentro do ringue e destacou que Pacquiao tem um poder de nocaute maior que The Money: “Mayweather nunca foi nocauteador, ele é técnico, tático. As últimas lutas dele terminaram por pontos. Pacquiao teve lutas duríssimas, só com o Juan Manuel Márquez foram três lutas, três guerras, em uma delas ele foi nocauteado. Pacquiao pegou caras com estaturas maiores, não nocauteou, mas derrubou. Pacquiao tem pegada, tem uma esquerda, é difícil lutador canhoto ter pegada. É uma luta que cheira nocaute dos dois lados. Mayweather não é um pegador nato, não é um pegado fulminante que pega a mão e o cara cai”, explicou.

Questionado sobre a proporção que o combate ganhou, Popó destacou que os estilos opostos dos lutadores fizeram com que a expectativa para o duelo crescesse: “você tem um invicto, marqueteiro, e tem um cara bonzinho, deputado distrital, cara mais família, que ganhou 10 títulos mundiais em categorias diferentes. E o Mayweather com 7 títulos mundiais. Se calcular isso, são 17 títulos mundiais em uma noite só com duas pessoas”, disse o ex-campeão.

Ex-campeão em duas categorias diferentes (super-penas e pesos-leves), Popó abandonou os ringues em 2007, com 31 anos. Hoje, aos 39, o baiano vê Mayweather e Pacquiao se destacando com 38 e 36 anos respectivamente. Questionado se poderia ainda lutar no nível dos dois, Popó afirmou ambos fugiram dele enquanto esteve no ague de sua carreira: “isso já tentei há muito tempo. Quando eu era campeão super-penas, o Mayweather era campeão dos leves, uma categoria acima. Tentamos lutar algumas vezes, mas essa galera sempre fugiu de mim no auge”, finalizou o lutador se prepara para retornar ao ringues.