Por causa de salário, Gobbi praticamente descarta vinda de Nilmar

  • Por Jovem Pan
  • 24/08/2014 13h56
SÃO PAULO,SP,03.02.2014:FUTEBOL/CORINTHIANS/TREINO - O presidente Mario Gobbi durante o treino do Corinthians no CT Joaquim Grava, na zona leste de São Paulo, SP, na manhã desta segunda-feira (03). A equipe se prepara para enfrentar o Bragantino em partida válida pelo Campeonato Paulista 2014. (Foto: Rodrigo Gazzanel/Futura Press/Folhapress)Mario Gobbi garante que nenhum jogador deixará o Corinthians após atos violentos

O presidente do Corinthians, Mário Gobbi, concedeu entrevista à Rádio Jovem Pan, neste domingo (24), e falou sobre diversos assuntos, entre eles a possível contratação do atacante Nilmar.

O mandatário do clube de Parque São Jorge praticamente descartou a vinda do jogador, mas não escondeu que ele interessa ao Corinthians.

“O Nilmar é um grande jogador, ele não precisa provar nada para ninguém. E o Nilmar atinge uma faixa de salário que o futebol brasileiro já não comporta mais. Esse é o entrave. Eu nem comecei uma conversa, mas eu sei que vou esbarrar neste problema. Não dá mais para pagar salários astronômicos porque todos estão vendo como os clubes estão e nós temos que pensar no todo, e não em questões pontuais”, declarou.

Ao ser perguntado sobre a primeira passagem de Nilmar no clube, Mário Gobbi frisou que não há nenhum ressentimento.

“Não, não tem nenhuma mágoa. O que houve foi uma falha, um erro do departamento do Corinthians da época. O Corinthians pagou e não levou. O jogador não tem culpa disso. O tempo passou, eu tentei trazê-lo de volta no primeiro ano da minha gestão e não deu certo. Tinha que pagar oito milhões de euros para o Villarreal para trazê-lo. O Corinthians perdeu dinheiro, e muito, mas por culpa do Corinthians”, frisou Gobbi.

O presidente do Corinthians também falou sobre o julgamento do meia Petros. O jogador, acusado de agressão contra o árbitro Raphael Claus, no clássico contra o Santos, foi punido por 180 dias pelo STJD, mas o departamento jurídico do Corinthians conseguiu um efeito suspensivo até o julgamento no Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva. E Gobbi ressalta que o clube ainda não sabe quando será o próximo julgamento.

“Não (há data). Essa semana vamos andar com isso. Temos pressa nisso e estamos correndo. Vamos ver se, nos próximos dias, temos alguma coisa atenuante que diminua essa pena que foi exacerbada”, finalizou.