Por conta da Justiça, Portuguesa deixa o campo e partida é encerrada

  • Por Jovem Pan
  • 18/04/2014 19h57

Após paralisaçãoJogo da Portuguesa é interrompido; veja fotos

Devido à liminar de um torcedor e decisão da diretoria da Portuguesa, o jogo na Arena Joinville, que estava sendo disputado na noite desta sexta-feira (18) foi interrompido aos 17 minutos do primeiro tempo.

Concorra ao livro “Libertadores – Paixão que nos une”

O oficial de Justiça foi até o estádio mostrando a liminar e solicitou a paralisação do confronto.

Toda a equipe da Portuguesa deixou o gramado, sob a orientação do treinador Argel, em direção aos vestiários. O Joinville, por sua vez, permaneceu no campo. O advogado dos donos da casa, em entrevista ao canal Sportv, foi taxativo em sua declaração: “Há uma ordem para que a CBF não faça esse jogo, mas acabaram entendendo que a Portuguesa quer se beneficiar disso, causando uma situação inusitada e triste para o futebol brasileiro. Cabe ao Joinville ficar em campo, aguardando o adversário. Se não tiver adversário, o Joinville ganhou o jogo”.

Aos gritos de “Vergonha”, torcedores do Joinville se revoltaram com a saída de campo da arbitragem, que requisitou a presença de escolta policial após definir o encerramento da partida. A torcida da equipe catarinense também mostrou notas de dois reais como forma de protesto. 

O delegado da partida, Laudir Zermiani, falou sobre o caso. “Chegou um documento de lá (São Paulo) e simplesmente comunicaram que não vão jogar mais. Comunicamos que teriam 30 minutos para voltar ao gramado senão encerraríamos o jogo”. 

Após a definição, o técnico Argel Fucks conversou com o Sportv sobre o ocorrido. “Sou funcionário do clube. É uma decisão do presidente, do departamento de futebol, eu tenho que acatar”, resumiu.