Por eliminação, Pequim e Almaty são finalistas a sediar Jogos de 2022

  • Por Agencia EFE
  • 27/07/2015 18h11

Redação Central, 27 jul (EFE).- A eleição da sede dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2022 está entre apenas duas cidades, Pequim (China) e Almaty (Cazaquistão), um cenário que não se repete desde 1980 e que é consequência do passo atrás dado por outras candidatas que foram incapazes de conseguir apoio popular, financeiro e político para o projeto.

Antes da abertura do prazo de apresentação de candidaturas para 2022, Barcelona, Munique e Estocolmo desistiram de tentar sediar os Jogos.

Após uma reunião com o presidente do COI, o alemão Thomas Bach, o então prefeito da cidade espanhola, Xavier Trias, entendeu que a falta de tradição em esportes de inverno a deixaria com poucas possibilidades de sucesso. No caso de Munique, um referendo popular acabou com a candidatura. Já em Estocolmo, foi o governo municipal se negou a garantir o financiamento necessário.

Em março de 2014, cinco cidades tinham se declarado oficialmente como candidatas ao COI: Oslo (Noruega), Cracóvia (Polônia), Almaty, Lviv (Ucrânia) e Pequim.

No entanto, em maio, os moradores de Cracóvia votaram contra o projeto em um referendo e, em junho, as autoridades cortaram a verba que seria gasta em Lviv devido às circunstâncias políticas e econômicas da Ucrânia.

Em julho de 2014, o COI tinha que fazer um corte entre as cidades, mas se negou a descartar qualquer uma delas e deu a condição de finalistas a Oslo, Almaty e Pequim.

Porém, o COI não suspeitava que Oslo protagonizaria outra surpresa na corrida para sediar os Jogos. Para desgosto da entidade, que via os Jogos ficarem sem candidatos a sediá-los, Oslo retirou a candidatura em outubro, depois que não conseguiu convencer o governo norueguês a assinar as garantias financeiras necessárias.

Este movimento reduziu a escolha e deixou como postulantes duas cidades do mesmo continente, a Ásia.

Sem dúvidas, também tiveram enorme influência sobre o ânimo dos governos temerosos os US$ 50 bilhões gastos pela Rússia para organizar os Jogos de Sochi, no ano passado. A cidade teve que fazer tudo do zero, mas o número entrou para a história como um recorde de gastos que outros se negaram a assumir.

A escolha da sede dos Jogos de Verão de 2020, em setembro de 2013, contou com o menor número de candidatas – três – em décadas. Madri, Istambul e a ganhadora Tóquio formaram o grupo mais reduzido de finalistas desde que apenas duas cidades, a sul-coreana Seul e a japonesa Nagoya foram finalistas para receber a edição de 1988.

Em relação aos Jogos de Inverno, a última vez que apenas duas cidades foram finalistas ocorreu em 1980, quando Lake Placid (EUA) e Vancouver (Canadá) disputaram a condição de sede. Porém, a cidade canadense acabou se retirando antes da votação. Antes disso, o mesmo só tinha acontecido na escolha da sede dos Jogos de Inverno de 1948, quando St. Moritz (Suíça) venceu Lake Placid. EFE